Cabo Frio tem 35 casos confirmados de doenças transmitidas pelo Aedes aegypti


O Departamento de Vigilância Epidemiológica de Cabo Frio registrou 35 casos de doenças transmitidas pelo Aedes aegypti, sendo 21 de Dengue e 14 de Chikungunya no período de 28 de junho até 13 de agosto deste ano. O número, apesar de baixo se comparado ao verão, é um alerta para que a população mantenha o combate ao mosquito, já que, tradicionalmente, nos meses mais frios o município não costumava ter registro de casos.

“O perigo vive dentro das nossas casas e o combate mais eficaz é aquele em que a larva não se transforma em mosquito. Para isso, o controle de cada morador para evitar que sua residência não se transforme num criadouro é imprescindível: com 10 minutos por semana interrompemos o ciclo de vida do aedes, que leva de 7 a 10 dias do ovo até a fase adulta, ou seja, mosquito transmissor”, explicou a médica Lucy Pires, da Vigilância Epidemiológica.

Semanalmente, os casos notificados são encaminhados para o Departamento de Vigilância Ambiental do município com o endereço para que seja feito o reforço no rastreamento de focos do mosquito no entorno da residência dos casos notificados. Já a campanha estadual/federal se originou como “10 minutos contra a Dengue”, mas passou a se chamar “10 minutos contra o Aedes” depois que o mosquito passou a transmitir também o vírus da Zika, Chikungunya e Febre Amarela.

Para manter o controle, basta uma vistoria semanal do morador em sua casa para evitar a proliferação do mosquito e eliminar os criadouros mais comuns como caixa d’água, calha e bandeja de ar condicionado, bem como de geladeira, pneus descobertos, ralos sem tampas, vasos de plantas sem areia, baldes abertos, garrafas com boca para cima, bem como tampas de refrigerante ou de outras embalagens, vasos sanitários destampados etc.

Sintomas mais comuns e cuidados

Febre alta de início súbito, dor de cabeça, dor nos olhos, exantema (manchas avermelhadas pelo corpo), coceira pelo corpo, dor nas juntas e nos músculos. Ao aparecimento dos sintomas, procurar atendimento médico e nunca se automedicar, principalmente com ácido acetilsalicílico (AAS) ou antiinflamatórios. É importante a hidratação abundante. Contra a Febre Amarela, a prevenção é a vacina, que está disponível em todas as unidades de saúde de Cabo Frio.

DestaqueNotícias

Comentários estão desabilitados.

FECHAR ACESSIBIILIDADE
%d blogueiros gostam disto: