Coordenadoria da Pessoa Idosa oferece novas oficinas e investe na melhoria dos serviços


Melhoria nos serviços e oferta de novas oficinas. Estas são as novidades que a Coordenadoria Geral da Pessoa Idosa (Cogepi) está implementando neste mês de maio. Foram criadas as oficinas de “Pintura em Tecido”, “Bijuteria” e “Equilíbrio e Marcha”. Esta última é destinada aos idosos que sofrem quedas com freqüência e tenham pouca força muscular ou que sejam acometidos do mal de Parkinson.

Além disso, a Cogepi também está reestruturando a oficina de memória, a fim de adequar a atividade às reais necessidades dos assistidos, que passam a se dividir em três turmas: os que não apresentam comprometimento cognitivo; os que apresentam déficit de cognição; e os que estão em um quadro de demência inicial.

Também houve alteração no funcionamento das oficinas de hidroginástica, que passou de uma para duas aulas semanais; e nas aulas de pilates, que ampliou o tempo de duração de 30 para 40 minutos, e que também ocorre duas vezes por semana. Outra mudança é que, visando uma melhor gestão das vagas, a partir de agora, o idoso que apresentar três faltas consecutivas sem justificativa, perde a vaga nas atividades.

“Estamos felizes com o resultado do nosso trabalho e procuramos melhorar ainda mais. Nos últimos meses registramos uma maior fidelização do nosso público, que certamente é reflexo da melhoria nos serviços oferecidos; e um aumento na demanda”, afirma a coordenadora Beatrice Carvalho, acrescentando que de agosto de 2018 até abril deste ano o número de assistidos passou de 727 para 876.

O Centro de Convivência da Cogepi funciona de segunda a sexta-feira na Avenida Teixeira e Souza, nº 2228, no bairro São Cristóvão. No local são realizadas, ao todo, 16 oficinas gratuitas para os idosos, voltadas a oferecer um envelhecimento saudável e prevenção de doenças. Entre as atividades também estão: hidroginástica em piscina aquecida, ginástica rítmica, circuito funcional e artesanato.

Para se inscrever, o interessado deve ter mais de 60 anos, ser morador do município de Cabo Frio e apresentar RG, CPF, comprovante de residência e atestado médico de liberação para as atividades. Após a efetivação do cadastro, o idoso passa por uma avaliação completa, com assistente social, psicólogo, enfermeiro e fisioterapeuta, o que garante um melhor direcionamento para as atividades.

Sem classificação

Comentários estão desabilitados.

FECHAR ACESSIBIILIDADE
%d blogueiros gostam disto: