Cultura de Cabo Frio avança na construção de políticas públicas


Secretaria realiza eleição suplementar do Conselho Municipal no próximo sábado (25)

Cabo Frio vai dar mais um passo importante na construção de políticas públicas voltadas para a Cultura. No próximo sábado (25), será realizada a eleição suplementar para compor o Conselho Municipal. A votação será no Colégio Estadual Miguel Couto, das 9h às 13h30min.

As inscrições de candidatos a integrantes do Conselho e também para eleitores ocorreu até o último dia 16 de maio, conforme edital publicado pela comissão organizadora. Ao todo foram 38 inscritos como eleitores e 19 como candidatos para disputar uma vaga como integrante do Conselho em nove cadeiras, representando cada segmento – Artes Cênicas, Produção Cultura, Audiovisual, Literatura, Dança, Artes Plásticas, Carnaval, LGBT e Cultura Afro.

As vagas para as duas novas cadeiras são para titular e suplente do segmento de Audiovisual e titular e suplente do segmento de Produção Cultural. Já as vagas substitutivas são as que trocam os conselheiros que tiveram seu mandato extinto de acordo com o artigo 14 do Regimento Interno deste Conselho. São elas: titular e suplente do segmento de Dança; titular e suplente do segmento LGBT; titular e suplente do segmento de Literatura; suplente do segmento de Artes Cênicas; suplente do segmento de Artes Plásticas; suplente do segmento de Agremiações carnavalescas e escolas de samba e suplente do segmento da Cultura Afro.

Para o superintendente de Cultura de Cabo Frio, Matheus Lima, o número de inscritos é uma demonstração de que a sociedade civil está começando a entender que o objetivo da atual gestão é a construção democrática e transparente de políticas públicas para o setor.

“O número de inscritos ainda é relativamente baixo, considerando a grande quantidade de artistas que temos na cidade. Mas, ainda assim, já é um indicativo de que eles entenderam nossa proposta de uma gestão participativa”, afirmou.

Ainda segundo ele, a expectativa para o cenário após a eleição é de um órgão que efetivamente dê voz à sociedade, para que os artistas possam participar e caminhar junto com o poder público nas ações voltadas para a Cultura.

“Teremos a composição do Conselho como deve ser, com todas as cadeiras ocupadas com titulares e suplentes representando todas as áreas. Isso vai propiciar que tenhamos mais debates e que seja preservado este espaço de voz e de construção coletiva, entre a sociedade civil e o poder público”, concluiu Matheus Lima.

CulturaDestaqueNotícias

Comentários estão desabilitados.

FECHAR ACESSIBIILIDADE
%d blogueiros gostam disto: