Dia Nacional de Luta contra a violência à mulher é celebrado em Cabo Frio


Em comemoração ao Dia Nacional de Luta contra a violência à mulher, celebrado nesta quinta-feira (10), a Secretaria Municipal de Desenvolvimento Social, Direitos Humanos e da Mulher (SEDESDIM) promoverá um ciclo de palestras para servidores, das 8h30 às 13h, na sede da pasta.  O evento é organizado pela Coordenadoria-geral dos Direito da Mulher.

A primeira palestra tem como tema “A violência existencial sobre a mulher trans no Brasil”, ministrada pela dra. Tatiana Crispim, primeira advogada trans na Região dos Lagos, pós-graduada em direito militar pela Universidade Candido Mendes (UCAM).

Outra temática será o “Encarceramento de mulheres e o acesso à maternidade”, pela dra. Raquel Ribeiro de Rezende, que além de advogada é mestre em sociologia e direito, pós-graduada em direito processual civil.

A terceira palestra do dia será sobre “Mulheres negras: violências interpessoais, estruturais e institucionais”, ministrada pela advogada presidencialista, dra. Margareth Ferreira. Ela também é ativista do Movimento Negro, coordenadora de Comunicação do MNU-RJ, especialista em Relações Étnicas Raciais e Direitos Humanos e idealizadora da Rede das Prestas.

Encerrando a rodada de palestras, a participação da Patrulha Maria da Penha – Guardiões da Vida, para esclarecimentos em relação aos atendimentos prestados às mulheres.

O Dia Nacional de Luta contra a violência à mulher foi criado em 1980, como desdobramento de um movimento nacional realizado em São Paulo, em protesto contra o índice crescente, em todo o país, de crimes contra as mulheres.

Segundo a coordenadora-geral dos Direito da Mulher (Codegim), Nilma Carneiro, o combate à violência contra a mulher é um problema mundial e não será resolvido de forma simplista.

“A questão exige ações integradas em diversos segmentos da sociedade, em níveis, áreas e instâncias, sendo certo que encontrar soluções é um dos maiores desafios para toda a sociedade, exigindo-se políticas públicas em todos os âmbitos da Federação”, concluiu Nilma.

 

DestaqueMulher

Comentários estão desabilitados.

FECHAR ACESSIBIILIDADE