Guarda Marítima e Ambiental retira argolas irregulares no Canal do Itajuru


Retirada de embarcações abandonadas será o próximo passo

 

Agentes da Guarda Marítima e Ambiental retiraram as argolas que serviam para a atracação de barcos de pesca e de passeio, instaladas irregularmente no paredão do cais do Canal do Itajuru. A ação foi  realizada durante toda a manhã desta quarta-feira (23) por  determinação do Instituto do Patrimônio Histórico, Artístico e Cultural (IPHAN), na área compreendida entre a Ponte Feliciano Sodré e o entorno da localidade conhecida como Moringa, nas proximidades da Ilha do Japonês.

Só poderão permanecer no local, as embarcações que têm suas poitas (âncoras), registradas junto à Capitania dos Portos. Elas terão permissão para fazer a atracação em argolas identificadas pela Guarda Marítima e Ambiental.

Durante a ação, foram flagradas embarcações atracadas por cordas enroladas nos coqueiros que compõem a paisagem da Orla do Canal e outras que não são registradas em Cabo Frio e não têm permissão para atracar.

“A maioria dessas embarcações que se utilizam dessa prática, ou estão abandonadas ou não são de Cabo Frio. Esse é apenas o primeiro passo para o ordenamento total do Canal do Itajuru. Em um segundo momento, estaremos fazendo a retirada das embarcações abandonadas para um local, após a Ponte Feliciano Sodré e iniciar um processo de identificação dos proprietários para dar destinação às suas propriedades”, informou o comandante da Guarda Marítima e Ambiental, Paulo Fernando Pinto Dias.

A partir da retirada das embarcações, o cais do Itajuru será autorizado apenas para embarque e desembarque, podendo ficar atracados, apenas, os barcos registrados e documentados.

 

DestaqueMeio AmbienteNotícias

Comentários estão desabilitados.

FECHAR ACESSIBIILIDADE