Campanha contra verminoses realiza 500 atendimentos nesta quinta

Por em 29/06/2017
A campanha contra verminoses movimentou a Praça de São Cristóvão na manhã desta quinta-feira (29). Foram feitos aproximadamente 500 atendimentos, e o maior público foi de estudantes. A ação foi idealizada pela Secretaria de Saúde com o tema “Esse mal pode te pegar, mas nós vamos te ajudar”. O objetivo foi orientar e auxiliar na identificação de sinais e sintomas, além de favorecer o diagnóstico precoce e o tratamento imediato.

O evento contou com uma equipe composta por sete médicos, dois técnicos de enfermagem e cinco enfermeiros. Durante a ação foram realizadas palestras sobre prevenção da doença. Verminoses são infecções no intestino causadas por vermes ou parasitas e podem causar sérios problemas de saúde, como dor abdominal, náuseas, vômitos, diarreia, distensão abdominal e perda de peso. Além disso, crianças contaminadas podem apresentar desnutrição e atraso no crescimento devido à redução na absorção de nutrientes importantes pelo intestino.

De acordo com o coordenador-médico dos ESFs, Rafael Almenara, atualmente a ascaridíase é responsável por 25 % das infecções e a população está procurando os centros de emergência ao invés dos postos de saúde. “Existem muitos casos de crianças com verminoses que vão até as UPAs, mas doenças básicas como hipertensão, diabetes e verminoses são plenamente tratadas por profissionais dos ESFs. Os medicamentos já estão disponíveis nessas unidades e as pessoas podem ser atendidas já que esse tipo de procedimento faz parte da rotina”, afirmou o coordenador.

Segundo a supervisora dos ESFs do Jardim Caiçara e Praia do Siqueira, Andrea Santana, as pessoas precisam fazer o uso do medicamento correto para que tenha eficácia. “O tratamento contra as verminoses acontece em dois momentos. Primeiramente precisa tomar o remédio três dias seguidos e após 14 dias tomar três dias seguidos de novo”, ressaltou a supervisora.

Estiveram presentes no evento o prefeito Marquinhos Mendes, o secretário de Saúde, Roberto Pillar, o subsecretário de Saúde, Luis Carlos, o coordenador-médico dos ESFs, Rafael Almenara, o coordenador-enfermeiros dos ESFs, Paulo Lima, médicos, enfermeiros e técnicos de enfermagem.