Conselho Municipal da Criança e do Adolescente começa a definir integrantes para o biênio 2017/2019

Por em 03/08/2017
O Conselho Municipal da Criança e do Adolescente (CMDCA) de Cabo Frio já começou a eleger seus integrantes para o mandato do biênio 2017/2019. Em reunião realizada na quarta-feira (2), na Secretaria Municipal de Assistência Social (Semas), foram eleitos os conselheiros da sociedade civil, que se candidataram através de edital, para ocupar as três vagas destinadas às entidades que trabalham com crianças e adolescentes em Cabo Frio.

Os candidatos pertencem a movimentos sociais de defesa e promoção da criança e do adolescente e a entidades não governamentais que também prestam serviço de atendimento e defesa dos menores. Foram eleitos os seguintes titulares: Alexandre Vieira, da Associação dos Veteranos Militares (Agia), Rosa Brandão Oliveira (Cajef), Kely Cristina Soares (Apae).

No dia 16 de agosto haverá a eleição do restante do Conselho, formado por 14 membros ao todo, divididos entre sete representantes titulares da sociedade civil e sete suplentes, mais sete representantes titulares do poder público e seus suplentes.

O CMDCA foi criado por Lei para formular e deliberar sobre políticas públicas relativas às crianças e adolescentes, em conjunto com as áreas de saúde, esporte e Lazer, assistência social, educação, entre outras. O órgão fiscaliza e orienta as ações em todos os níveis e organiza as redes de atenção à população infanto-juvenil, da sociedade civil e governamental.

Alexandre Vieira, que participa pela primeira vez do Conselho, se sentiu honrado com sua eleição e agradeceu a oportunidade de compor o Conselho. “Em nome da Associação dos Veteranos Militares, a qual represento, de cada integrante da coordenação e condução do Projeto Futuro Guardião, realizado pela Associação; em nome de cada criança/jovem integrante do nosso projeto e de cada família amparada ou não, assistida por quaisquer voluntários, guerreiros que doam de seus tempos, que abdicam até mesmo de seus lares em atenção aos direitos dos menos favorecidos, meus sinceros agradecimentos à direção dessa instituição, que nos investiu de responsabilidade e nos conduziu à correção das nossas propostas”, afirmou o conselheiro.