LIRAa identifica baixo risco de infestação por Aedes aegypti em Cabo Frio

14/03/2018

O último Levantamento de Índice Rápido para o Aedes aegypti (LIRAa) realizado em Cabo Frio identificou o baixo risco de infestação do mosquito na cidade. O Aedes aegypti é responsável por doenças como dengue, zika e chikungunya e tem maior infestação no período do verão. Ao todo, o levantamento percorreu 6.439 imóveis entre os dias 18 e 24 de fevereiro. Foi a segunda medição do LIRAa no ano, e acabou sendo antecipada a pedido da Secretaria Estadual em Saúde - o planejamento inicial era para a realização em março.


SAIBA MAIS

Ibascaf reduz prazo para autorização de exames


De acordo com a Vigilância em Saúde Ambiental, foram detectados focos do mosquito em 42 imóveis dos locais visitados, o que totaliza a infestação de 0,7%, um índice considerado satisfatório, de acordo com as diretrizes adotadas pelo Ministério da Saúde.

Este é o menor índice identificado na cidade em 2018. Em janeiro, o município teve o índice de 1,1%. O objetivo do levantamento é o de direcionar as ações de controle do mosquito para as áreas mais críticas. Para ampliar a eficácia dessas ações, este ano, a Vigilância Ambiental em Saúde contou com uma parceria com a Base Aeronaval de São Pedro da Aldeia (BAeNSPA) e fez, em janeiro, um vôo monitorado para identificar possíveis áreas de infestação do Aedes aegypti, principalmente em Tamoios, no segundo distrito de Cabo Frio.


O calendário de medição é do LIRAa definido pelo Governo do Estado e prevê cinco ciclos, com intervalos regulares, mas que podem ser modificados em caso de necessidade da Secretaria Estadual de Saúde. A próxima medição está prevista para maio, entre os dias 6 e 12.

Apesar do baixo risco, toda a população deve ficar atenta e realizar as ações de prevenção para coibir a proliferação do mosquito. “A população tem que ter consciência dos riscos das doenças causadas pelo mosquito e continuar fiscalizando os possíveis locais de focos, sempre olhando o lixo, caixas d’água e qualquer local que possa ter acúmulo de água”, disse a coordenadora da Vigilância em Saúde Ambiental, Andreia Nogueira.

Agentes do setor também estão percorrendo os bairros de Cabo Frio e Tamoios atuando no chamado saneamento ambiental. Na ação são utilizados carros e motofogs que pulverizam repelente natural de citronela, uma planta que possui propriedades insetífugas, mantendo todos os tipos de mosquitos afastados. Alguns mutirões também estão sendo programados para as próximas semanas.