Prefeitura fecha convênio com a Estácio para transformar Centro de Reabilitação em clínica-escola

Por em 05/04/2017
Um convênio firmado entre a Prefeitura de Cabo Frio e a Universidade Estácio de Sá irá transformar o Centro Municipal de Reabilitação em uma clínica-escola. Para isso, a Prefeitura vai fazer uma reforma no local, que está com as instalações degradadas após ter ficado abandonado por 4 anos. A obra está orçada em R$ 220 mil e o processo de contratação de uma empresa para realizar o serviço já foi iniciado. A previsão é de que o local possa funcionar a partir do segundo semestre deste ano.

O convênio foi assinado nesta quarta-feira (5) no gabinete do prefeito Marquinho Mendes. Além do prefeito estavam presentes o diretor do campus Cabo Frio da Estácio, Nirlei Barros, e o assessor de projetos do campus, Paulo Cotias. Pelo convênio, a Prefeitura fica responsável por fornecer a estrutura de trabalho e a Estácio irá fornecer os profissionais para o atendimento. Os pacientes serão atendidos por professores da universidade e por universitários supervisionados pelos professores. Para o prefeito Marquinho Mendes, o convênio irá possibilitar um atendimento de qualidade aos moradores da cidade.

"Colocar o Centro de Reabilitação em funcionamento é uma necessidade da população. Estamos muito satisfeitos com esse convênio firmado com a Estácio, que será uma grande parceira neste projeto. Daremos início em breve à reforma do local, já que o Centro de Reabilitação ficou abandonado nos últimos quatro anos. Assim que a reforma estiver concluída o Centro de Reabilitação irá funcionar de forma plena", disse Marquinho no encontro.

Segundo o diretor do campus Cabo Frio da Estácio, Nirlei Barros, a parceria irá proporcionar que os alunos estejam em uma estrutura com situações reais de trabalho, o que favorece o aprendizado.

"Atualmente temos a nossa clínica-escola funcionando nas dependências da universidade, realizando atendimento aberto à população de Cabo Frio gratuitamente. No entanto, a partir deste convênio vamos transferir a clínica-escola para o Centro de Reabilitação, que é um local com excelentes instalações. Desta forma os alunos estarão inseridos em um ambiente de trabalho com alta demanda e bastante propício para o aprendizado. Serão cerca de 60 pessoas atuando no local entre alunos e professores", contou Nirlei Barros.