Prefeitura firma parceria para estimular cultura entre pacientes dos Caps

Por em 08/05/2017
A Secretaria de Cultura firmou uma parceria com a Coordenadoria de Saúde Mental, da Secretaria de Saúde, com a Universidade Veiga de Almeida e com a Fábrica de Música-Ponto de Cultura para selar um novo projeto da pasta: o Circuito de Artes, que visa incluir os pacientes dos Centros de Atendimento Psicossocial (Caps) nas atividades da Secretaria de Cultura.

O novo projeto foi apresentado pelo secretário de Cultura, Ricardo Machado e pela a diretora do Departamento de Políticas Culturais, Susiane Borges, à coordenadora da Saúde Mental, Sandra Aquino, numa reunião na semana passada. A previsão é que seja implantado no segundo semestre deste ano.

O Circuito de Artes é uma ação compartilhada e cada instituição desempenhará um papel para contribuir com a expansão da cultura. O transporte dos pacientes até os locais onde acontecem as programações que envolvam a Secretaria de Cultura fica a cargo da Secretaria de Saúde. A Secretaria de Cultura irá colaborar com recursos estruturais de acolhimento, ou seja, a disponibilização de espaços para realização das atividades. E os alunos do curso de Psicologia da Universidade Veiga de Almeida irão acompanhar os pacientes e também trabalhar a metodologia da Fábrica de Música-Ponto de Cultura, que é a musicoterapia.  

Segundo a diretora do Departamento de Políticas Culturais, Susiane Borges, a iniciativa representa a Cultura da cidade cumprindo a missão de embasar ações em todos os âmbitos da sociedade, fortalecendo seu papel de protagonismo identitário e solidificando as ações transversais com a Secretaria de Saúde do município, ampliando, assim, seu espectro de diversidades.

“É necessário trabalhar na saúde tendo por referência a cultura, buscando uma síntese entre o saber técnico, que valoriza a sobrevivência, com o interesse e o desejo das pessoas atendidas”, disse a diretora.

Os CAPS possuem caráter aberto e comunitário, com equipes multiprofissionais e transdisciplinares, que realizam atendimento a pessoas com sofrimento ou transtornos mentais graves e persistentes, sem excluir aqueles decorrentes do uso de crack, álcool ou outras drogas.