Portal da Prefeitura de Cabo Frio

Prefeitura propõe reparcelamento da dívida que resta do governo anterior

Por em 12/06/2017
O prefeito Marquinho Mendes enviou ao Sindicato dos Servidores de Cabo Frio, nesta segunda-feira (12), uma proposta de reparcelamento da dívida que resta do governo anterior. Desde o início do ano a Prefeitura vem pagando duas folhas salariais por mês, sendo uma do mês corrente e outra referente à gestão anterior. No entanto, com a queda nas receitas após o período de maior arrecadação, que é o início do ano, por conta da campanha de pagamento do IPTU, a prática tornou-se inviável. 

A proposta é reparcelar o que não foi quitado nos próximos 10 meses, a fim de manter os salários deste ano em dia. As categorias irão avaliar os novos temos em assembleias. A proposta não vale para os servidores da Educação, Guarda e para os aposentados, que já receberam a maior parte do que foi deixado pela gestão anterior (veja abaixo tudo o que o governo atual já pagou neste ano em relação à folha salarial).

"No começo do ano tivemos um fôlego maior por conta da entrada de recursos provenientes dos impostos, principalmente o IPTU. Todos sabem os esforços que estamos fazendo para regularizar a situação dos servidores, mas a dívida deixada pelo governo anterior é muito grande. Nossa dificuldade hoje está justamente no tamanho da dívida que foi deixada. Estamos em franco diálogo com os sindicatos, que vêm acompanhando de forma transparente as receitas e sabem das dificuldades. Agora precisamos parcelar o que restou em mais vezes, para que possamos honrar com todos os setores", afirma o prefeito Marquinho Mendes.

O prefeito ressalta que a Educação, que possui verbas exclusivas enviadas pelo Governo Federal, é o setor que está com os pagamentos mais avançados. Os funcionários concursados receberam inclusive o salário atual dentro da data de vencimento. No entanto, a equiparação dos salários dos professores contratados com os concursados, antiga reivindicação da categoria, inflou ainda mais a folha de pagamento. Por isso, o governo propôs pagar os contratos em vigor, em um primeiro momento, na forma feita anteriormente, e ao final dos contratos fazer uma folha suplementar quitando a diferença, honrando, desta maneira, a equiparação oferecida. O Sindicato dos Profissionais da Educação também irá avaliar esta proposta em assembleia.

"Quero dizer à população que vamos atravessar este momento da melhor forma. Sabemos que há muito a ser feito na cidade, mas, mesmo com todas as dificuldades, os serviços essenciais estão funcionando de maneira satisfatória. Pedimos o apoio e a compreensão de todos para que a cidade possa se recuperar definitivamente", declara ainda o prefeito. 


Veja abaixo tudo o que o governo atual já pagou neste ano em relação à folha salarial

VALORES

PAGAMENTO DE FOLHA SALARIAL EM 2017 (incluindo salários deste ano e salários deixados pela gestão anterior) 
R$ 171,4 milhões

PAGAMENTO DE DÍVIDAS DEIXADAS PELA GESTÃO ANTERIOR
Geral - R$ 45,8 milhões
Por segmento
Educação - R$ 29,9 milhões
Aposentados - R$ 8,3 milhões
Guardas - R$ 1,9 milhões
Demais categorias - R$ 5,6 milhões


PERÍODOS

O QUE JÁ FOI PAGO DO GOVERNO ANTERIOR

2015
Educação - 1/3 Férias
Aposentados - 3 parcelas do 13°

2016
Educação - Outubro, Novembro, Dezembro e 13º
Administração - Setembro (parcela), Outubro (integral), Novembro (50%)
Guarda - Novembro (parcela) e Dezembro (parcela)
Saúde - Outubro (integral) e Novembro (parcela)
Aposentados - Outubro e Novembro

O QUE FALTA DO GOVERNO ANTERIOR

2015
Educação - dois quintos do 13° de 2015 
Demais servidores - 1/4 do 13° de 2015

2016
Educação - Nada
Guarda - 13° de 2016 
Administração e Saúde - 50% do salário de novembro, salário de dezembro de 2016 e 13° de 2016
Aposentados - Dezembro de 2016 e 13º 

Inscreva-se em nossa Newsletter: