“Sexta sem mosquito” promove conscientização sobre os riscos do Aedes aegypti em Cabo Frio

Por em 07/12/2017
A sexta-feira (8) será de conscientização sobre os perigos causados pelo mosquito Aedes aegypti. A Coordenadoria da Vigilância em Saúde Ambiental da Secretaria de Saúde promoverá ações da campanha nacional “Sexta sem mosquito”. Serão realizadas panfletagem, esclarecimentos à população e recolhimento de lixo com possíveis focos do mosquito em vários pontos da cidade.

SAIBA MAIS
Grupo de turistas pratica atividade física com idosos na Praia do Forte
I Feira de Artesanato de Tamoios será realizada neste fim de semana

De acordo com a coordenadora da Vigilância em Saúde Ambiental, Andrea Nogueira, as ações vão acontecer simultaneamente, a partir das 8h, na Praia do Forte, Praça Porto Rocha, Praça de São Cristóvão, Praça do Jardim Esperança e no Jacaré. No distrito de Tamoios as ações acontecem em Unamar, Aquários e Santo Antônio. No Jacaré, as atividades vão ter o apoio do Centro de Referência de Assistência Social (Cras) do bairro. Ao todo, 160 agentes vão participar da ação.

“O objetivo é esclarecer a população sobre a prevenção do mosquito, ouvir as sugestões de ações dos moradores sobre locais com possíveis focos, além de retirar das ruas os lixos que podem ser potenciais criadouros do mosquito”, explicou Andrea.

O mosquito Aedes aegypti é o transmissor da dengue, febre amarela, chikungunya e zika vírus, este último, tem relação com a ocorrência de casos de microcefalia em bebês. O mosquito tem reprodução em águas paradas e ocasiona grandes números de casos em todo o Brasil, principalmente no verão. Em Cabo Frio houve uma queda nos casos das doenças relacionadas ao mosquito. Em 2016 fora notificados 331 casos de dengue e em 2017 foram 205. A chikungunya teve 134 casos notificados em 2016 e 42 casos em 2017. Já zika vírus teve 886 casos em 2016 e apenas três em 2017, segundo dados da Saúde Coletiva do município. 

A campanha do Ministério da Saúde visa chamar a atenção para a conscientização para o combate ao mosquito e para as consequências das doenças causadas pela e dengue, além da importância de eliminar os focos do Aedes.