Categorias
Destaque Educação Governo Igualdade Racial Jornada de Integração Cabo Frio - África Notícias

Jornada de Integração Cabo Frio – África discute cinema e africanidade

Encontro virtual teve participação do cineasta Joel Zito Araújo, do cônsul geral de Cabo Verde, Pedro António dos Santos, e do ator Paulo Betti

Em mais uma semana de atividades da Jornada de Integração Cabo Frio – África, a Prefeitura de Cabo Frio promoveu, nesta quarta-feira (16), um encontro virtual com o tema “Cinema e Africanidade”. A discussão girou em torno da vasta produção cultural do continente africano, em especial os países que estão fazendo parte da jornada: Cabo Verde e Angola.

A transmissão aconteceu ao vivo pela página da Prefeitura de Cabo Frio no Facebook (www.facebook.com/PrefeituradeCaboFrio), e continua disponível para quem quiser assistir.

O professor da Educação Básica e integrante da Comissão de Direitos Humanos no Rio de Janeiro, Léon Denis, foi o responsável pela mediação do debate, que contou com a presença do cineasta Joel Zito Araújo, doutor em Ciências da Comunicação pela Escola de Comunicação e Artes da USP (Universidade de São Paulo). Ele é diretor de diversos curtas com a temática do negro, e ganhador de diversos prêmios nacionais e internacionais.

A mesa também teve presença de Saturnino Rodriguez, formado em cinema pela Universidade Estácio de Sá (natural de Cabo Verde, atualmente mora em Lisboa) e Calebe Pimentel, fotógrafo, videomaker e produtor.

Durante o debate, o ator Paulo Betti e o cônsul geral de Cabo Verde, Pedro António dos Santos, fizeram uma participação especial trazendo uma análise do atual momento da cena audiovisual no Brasil, e da importância da representatividade e do fomento à produção cultural no país.

Joel Zito Araújo explicou que é fervoroso defensor da integração entre os países. Lembrou que os brasileiros têm um déficit enorme de conhecimento sobre a África no Brasil. Segundo ele, a maior parte dos brasileiros anda está contaminada pela visão equivocada sobre o continente, que tem uma vasta riqueza cultural.

“Se os brasileiros tivessem acesso ao papel da África no Brasil, entenderíamos o que Muniz Sodré cita quando diz que a África trouxe para o Brasil não apenas comida e temperos, ou a música e dança, mas patrimônios formados por milênios de cultura e conhecimento. O Brasil é efeito desse patrimônio”, comentou o cineasta.

A próxima atividade da Jornada de Integração Cabo Frio – África vai acontecer na próxima segunda-feira (21), às 15h, com a conferência sobre o panorama da literatura afro-brasileira. O encontro será virtual e transmitido pelo Facebook da Prefeitura de Cabo Frio, com a presença das professoras doutoras Sônia Maria Santos e Carmen Lúcia Tindó, da Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ).