Treinamento reúne manipuladores de alimentos da rede municipal de ensino

Nesta quinta-feira (24), os manipuladores de alimentos da Rede Municipal de Ensino de Cabo Frio participaram de um treinamento com o tema “Alimentação escolar: preparo de refeições e boas práticas de manipulação”. Dinâmica sobre Educação Alimentar Nutricional e palestras marcaram a programação, realizada no Teatro Municipal Inah de Azevedo Mureb.


SAIBA MAIS

Professores participam de curso de qualificação sobre restingas

Educação faz terceira convocação do Concurso de 2009


O secretário municipal de Educação, Alessandro Teixeira, presente na abertura do evento, destacou a importância social das refeições oferecidas nas escolas e o trabalho realizado pelos manipuladores. “Vocês dão uma contribuição ímpar para o desenvolvimento dos alunos e da Rede”, ressaltou o secretário.


A superintendente administrativa e financeira, Edna Henrique de Lucena, lembrou que a alimentação é responsável por gerar lembranças afetivas e a alimentação escolar tem um peso grande no processo de educacional. “Na escola, a gente alimenta a construção do conhecimento e da afetividade, indo além do atendimento das necessidades físicas proporcionado pela merenda escolar”, observou Edna.


As palestras, ministradas por professoras do curso de Nutrição da Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ), campus Macaé, e pelo Corpo de Bombeiros, abordaram questões relevantes para o cotidiano das cozinhas escolares. A nutricionista doutoranda Mariana Fernandes falou sobre técnicas corretas no preparo de refeições coletivas, com dicas práticas que otimizam o preparo e apresentação dos alimentos. A doutora Laís Buriti enfocou a segurança alimentar, destacando a necessidade da higiene pessoal e do ambiente de preparo, armazenamento e os itens vitais do manual de boas práticas, tendo como princípio evitar focos de contaminação. Já o tenente do Corpo de Bombeiros, Alessandro França, falou sobre segurança, desde primeiros socorros até o combate a incêndio e desocupação de áreas em situação de emergência.


Durante o intervalo, estagiárias de nutrição, sob a orientação da doutora Amábela Cordeiro, explicaram para os presentes as informações contidas nos rótulos dos alimentos, destacando a presença de nutrientes que, em excesso, fazem mal à saúde. A proporção de sódio, açúcar e gordura em alimentos industrializados de uso comum foram apresentadas.


A programação agradou ao público. Vanusa Nunes Lima começou trabalhar em cozinha escolar este ano. Com experiência no preparo de alimentos em grande escala em outros segmentos, conta que a formação agrega conhecimento à experiência do dia a dia. Flávio Ventilário também gostou das novidades apresentadas na formação. Conta que trabalha há 10 anos em escolas e há dois assumiu funções na cozinha e está realizado. “O elogio dos estudantes quando acabam a refeição é a maior gratificação que recebemos”, diz Flávio. Veterana, Rosemary dos Santos passou no concurso para cozinheira em 1999 e nunca mais deixou o espaço. Diz que se sente realizada. “Às vezes, encontramos os alunos já crescidos e eles sempre nos tratam com muito carinho. É a melhor recompensa”, declarou.


Destaque

Comentários estão desabilitados.

FECHAR ACESSIBIILIDADE
%d blogueiros gostam disto: