Vigilância em Saúde Ambiental cobra medidas para adequação ao Plano de Segurança da Água

Equipe da Coordenadoria de Vigilância em Saúde Ambiental no Centro de Controle Operacional (CCO), local de monitoramento do sistema de abastecimento de água do município


Equipe da Coordenadoria de Vigilância em Saúde Ambiental no Centro de Controle Operacional (CCO), local de monitoramento do sistema de abastecimento de água do município

Manter a qualidade da água distribuída para a população cabo-friense, monitorando constantemente esse bem essencial para a vida. Esse é o objetivo da Coordenadoria de Vigilância em Saúde Ambiental que está atuando junto a concessionária responsável pelo abastecimento de água da cidade, cobrando medidas para atender o Plano de Segurança da Água (PSA).

O Plano é uma diretriz do Governo Federal que consiste em desenvolver procedimentos em todas as etapas dos sistemas de abastecimento de água, desde a captação até o tratamento e a distribuição aos consumidores.

“A utilização dessas medidas contribuirá para o atendimento do padrão de potabilidade estabelecido pela legislação vigente e a redução das chances de incidentes que podem resultar em impactos negativos na qualidade da água para consumo humano,” explica Andreia Nogueira, coordenadora de Vigilância em Saúde Ambiental.

Neste ano, o município entrou na etapa de implantação e execução das medidas estabelecidas no PSA. Para atender essas exigências, a equipe da Vigilância em Saúde Ambiental esteve na sede da companhia de abastecimento da cidade para discutir medidas de melhoria no monitoramento da água distribuída pela empresa.

Nesse primeiro encontro ficou definido que se deve ampliar os pontos de coleta (PCQ) de monitoramento da água existentes no município em mais de 50%.

“Atualmente são 27 PCQs em Cabo Frio e 11 em Tamoios. Esses locais são instalados ao longo da rede de distribuição de água em todo o município e é utilizado para coletar a água para fazer análise da qualidade. Só para ter uma ideia, a água consumida pela população da região é captada no manancial de Juturnaíba, localizada a cerca de 70 quilômetros de distância do município. Por isso a necessidade ampliação para termos mais segurança e controle da água até a chegada na casa do consumidor.” conta Andreia.

Além disso, o PSA conta ainda com outras medidas para implementação dos princípios definidos na Portaria nº 2.914 do Ministério da Saúde como ações de educação ambiental ligado à Água.

O Brasil foi o primeiro país a incorporar essa abordagem em legislação nacional. No município, a expectativa é que no até o fim do próximo ano todas as ações estejam implantadas.

Comentários Facebook

DestaqueNotíciasSaúde

Comentários estão desabilitados.

FECHAR ACESSIBIILIDADE