Categorias
Destaque Esportes Notícias

Cabofriense/Seven recebe Pérolas Negras pelo Estadual Feminino de Futebol

Jogo será disputado no Estádio Correão nesta quarta-feira (20) sem presença de público

A Cabofriense/Seven faz, nesta quarta-feira (20), seu primeiro jogo em casa pelo Campeonato Estadual Feminino de Futebol, promovido pela Federação de Futebol do Estado do Rio de Janeiro (FERJ). O Tricolor Praiano recebe o Pérolas Negras às 15h, no Estádio Correão. A partida é válida pela quinta rodada da Taça Guanabara, a primeira fase do evento.

A Cabofriense/Seven fez suas quatro primeiras partidas fora de casa, contra os principais clubes do estado: Vasco, Botafogo, Flamengo e Fluminense. Por força do regulamento, essas quatro equipes só jogam contra os adversários de menor investimento em casa. No total, cada clube fará onze partidas. Das sete que ainda restam, as meninas de Cabo Frio terão quatro no Correão.

Ao final das 11 rodadas, as quatro equipes de maior pontuação se classificam para as semifinais. O time que terminar a Taça Guanabara em primeiro lugar ganha um troféu alusivo à conquista.

No fim da tarde desta terça-feira (19) a Federação de Futebol do Estado do Rio de Janeiro informou que, mesmo havendo um decreto municipal que autoriza a presença de público com lotação máxima de 80% do estádio, foi estabelecido pelo Conselho Arbitral da Federação que a presença de público nos Jogos do Estadual Feminino não será liberada.

Categorias
Destaque Esportes Notícias Turismo, Esporte e Lazer

Cabo Frio começa a montagem de equipes para Jogos Intermunicipais

O mês de agosto está reservado para as seletivas que vão formar as equipes de futebol, futevôlei, vôlei de praia e atletismo. A competição terá início em 5 de setembro

A Prefeitura de Cabo Frio confirmou participação nos Jogos Intermunicipais, que estão sendo organizados pelo Consórcio Regional de Esportes da Costa do Sol. Prevista para começar no dia 5 de setembro, a competição faz parte de um movimento de Prefeituras da região para criar estratégias conjuntas na área do esporte e do lazer.

Desde o início do ano já foram realizadas quatro reuniões com os secretários de Esporte e Lazer da Costa do Sol para a criação, a partir de 2022, de um calendário esportivo que integre os municípios de Rio Bonito, Saquarema, Araruama, Iguaba Grande, São Pedro da Aldeia, Cabo Frio, Armação dos Búzios, Arraial do Cabo, Casimiro de Abreu, Silva Jardim, Rio das Ostras e Macaé. O próximo encontro de secretários será no final deste mês de agosto, em Rio das Ostras.

Os Jogos Intermunicipais serão uma espécie de projeto-piloto para este calendário. Na edição deste ano, quatro modalidades estarão em disputa: futebol (sub17 masculino, adulto masculino e adulto feminino, este disputado em sede única, em sistema de torneio); futevôlei (com duplas masculinas e mistas); vôlei de praia (com duplas masculinas e femininas); e corrida de rua (dividido em equipes masculinas e femininas).

Para que Cabo Frio possa participar da competição este ano, a Secretaria Adjunta de Esporte e Lazer vai promover, ao longo do mês deste mês, seletivas para formar suas representações. A do futebol está marcada para este sábado (7), e o treinador Antônio Hohman, o Toninho, ficará a cargo da montagem das equipes.

Já a seletiva do vôlei ficará a cargo da Liga Cabofriense da modalidade, que promove, nos próximos dias 21 e 22 o Cabo Frio Open de Vôlei de Praia. Os representantes do atletismo serão indicados pela Associação dos Corredores da Região dos Lagos (ARCOLAGOS). A seletiva do futevôlei terá data e local divulgados nos próximos dias.

A intenção, segundo o secretário adjunto, Rodolpho Campbell, é de dar chance para que os praticantes destas modalidades representem o município.

“Acreditamos que esses jogos intermunicipais incentivarão o crescimento do desporto, integrando e incentivando diversos atletas. O esporte une pessoas, e esse vai ser o legado dos nossos jogos”, destacou.

COMPETIÇÃO VAI DURAR QUATRO MESES

Os torneios masculinos de futebol começam no dia 5 de setembro e serão disputados em dois grupos: um com seis equipes e outro com cinco, já que Iguaba Grande saiu da disputa. No grupo A estão Búzios, Cabo Frio, Arraial do Cabo, Rio das Ostras, São Pedro da Aldeia e Macaé. O grupo B é formado por Rio Bonito, Silva Jardim, Saquarema, Araruama e Casimiro de Abreu.

O futevôlei terá cinco etapas, nos dias 24 de outubro (em Cabo Frio); 7 e 21 de novembro (em Rio das Ostras e Búzios, respectivamente); 5 e 19 de dezembro (Arraial do Cabo e Búzios, respectivamente). O torneio de vôlei de praia terá jogos nas mesmas datas do futevôlei, mas em sedes diferentes: pela ordem, em Tamoios, São Pedro, Saquarema, Macaé e Silva Jardim. As provas de corrida de rua, com percurso de 10km em cada uma das quatro etapas, acontecerão em Arraial do Cabo (31/10), Cabo Frio (14/11), Búzios (28/11) e São Pedro (12/12).

Categorias
Destaque Turismo, Esporte e Lazer

Cabo Frio anuncia medidas de incentivo ao turismo náutico

Anúncio foi feito após solenidade no Marlim Azul da Praça da Cidadania

Na semana em que Cabo Frio sedia um dos maiores torneios de pesca esportiva oceânica do mundo, a Prefeitura anuncia uma série de medidas com o objetivo de fomentar o turismo náutico na cidade. A novidade foi revelada pelo secretário adjunto de Turismo, Carlos Cunha, que junto com o secretário de Turismo, Esporte e Lazer, Flávio Rosa, participou, na manhã desta terça-feira (26), da solenidade de colocação da placa informativa sobre o Marlim Azul em exposição na Praça da Cidadania, em frente à Praia do Forte.

A solenidade fez parte da programação da 28ª edição do Marlim Invitational, que começou no último dia 23 e segue até o próximo dia 31 de janeiro. O evento é realizado pelo Iate Clube do Rio de Janeiro (ICRJ), por meio da subsede da instituição no município, conta com apoio da Prefeitura, e este ano tem a participação de cerca de 18 embarcações e mais de 70 competidores de todo o mundo.

“Este Marlim em exposição na Praça da Cidadania é apenas uma réplica reduzida do maior Marlim que já foi pescado no mundo, que foi em fevereiro de 2001, em águas cabo-frienses, durante uma edição do Marlim Invitational. O Marlim original tinha mais de quatro metros de comprimentro, pesava cerca de 575 quilos, e 20 anos depois continua sendo o recorde mundial”, contou Eurico Soares, pescador responsável pela façanha, lembrando que hoje a pesca esportiva acontece de forma sustentável com devolução do peixe ao mar após medição e pesagem.

Vicente Arruda, comodoro do Iate Clube do Rio de Janeiro, lembrou que Cabo Frio é a capital mundial do Marlim de grande porte. “Isso acontece devido aos ventos fortes na costa da cidade que, ao mesmo tempo que tornam a pesca difícil, ajudam na preservação da espécie”, contou, explicando que a pesca esportiva acontece a 60 milhas da costa (cerca de 110 km), e que a etapa de Cabo Frio é classificatória para o mundial, que acontece na Costa Rica.

ORDENAMENTO E INCENTIVO AO TURISMO NÁUTICO

Logo após a colocação da placa com informações sobre o Marlim Azul, o secretário adjunto de Turismo, Carlos Cunha, revelou algumas medidas que estão sendo tomadas com o objetivo de fomentar o turismo náutico em Cabo Frio.

“Estamos atuando com foco nos turismos náutico, ecológico e esportivo, que são modalidades sustentáveis, que podem ser trabalhadas sem causar aglomeração, como requer este momento de pandemia que estamos vivendo. E pegando o gancho do Marlim Invitational, temos muitas novidades com relação ao turismo náutico que podem trazer excelentes resultados para Cabo Frio”, contou Carlos Cunha.

Algumas das ações anunciadas já estão acontecendo. É o caso da abertura do píer no Terminal de Transatlântico para utilização das embarcações. Pelas regras, o embarque e desembarque pode ser feito por, no máximo, duas embarcações de forma simultânea, com tempo máximo de 5 minutos. Outra medida que já está funcionando é a reabertura do Terminal de Passeio de Barcos, cedido à Associação de Barcos de Passeio, que agora é responsável pela manutenção do espaço.

“Além disso, estamos trabalhando no ordenamento das canoas havaianas com o projeto sendo todo custeado pela iniciativa privada. Também estamos fazendo uma revisão geral na Lei Municipal Nº 1.735/2003, que regulamenta a atividade náutica. Essa Lei é da época do acidente com o Tona Galea. De lá pra cá a atividade náutica se transformou tanto que deixou essa Lei desatualizada. Então já estamos trabalhando nessa revisão junto com a Capitania dos Portos, com a Guarda Marítima, com a secretaria de Meio Ambiente, com o Planejamento e também com a Posturas, de forma a tornar a atividade mais organizada e segura para todo mundo”, explicou Carlos Cunha.