Categorias
Destaque Notícias Saúde

Hospital do Jardim Esperança inicia atendimento de pré-natal de alto risco

Serviço ambulatorial já está à disposição das gestantes

As gestantes do Jardim Esperança e de localidades vizinhas já podem contar com mais um serviço no Hospital Municipal Otime Cardoso dos Santos (HMOCS). De forma inédita, os atendimentos ambulatoriais de pré-natal de alto risco estão sendo realizados no local. Para reforçar o atendimento, um novo aparelho de ultrassom foi instalado na unidade hospitalar, permitindo a realização de exames necessários para o acompanhamento das gestações.

Com o novo serviço, a cada semana 50 agendamentos serão realizados através dos encaminhamentos das Estratégias de Saúde da Família (ESF), da rede de Atenção Básica. Atualmente, a área atendida possui 314 gestantes que se beneficiarão dos atendimentos. O acompanhamento das gestantes é realizado pela Unidade básica de Saúde e pelas ESFs do Porto do Carro, Tangará, Caminho de Búzios, Boca do Mato, Vila do Ar e Peró. Além dessa assistência, o serviço oferece acompanhamento conjunto com obstetra, apoio de exames laboratoriais e de imagem, todos realizados no Hospital do Jardim.

Antes da iniciativa ser implantada na unidade, as gestantes do grande Jardim tinham que se deslocar até o Centro de Saúde Oswaldo Cruz (CSOC), no Braga, para ter o acompanhamento em caso de gestação de alto risco. Com o reforço na rede municipal de saúde, o secretário, Felipe Fernandes, ressaltou a importância de uma nova oferta de serviço para as gestantes de Cabo Frio.

“Estamos muito satisfeitos em implantar esse atendimento para as grávidas que se encontram em uma gestação que inspira cuidados redobrados. Além disso, o serviço vai funcionar dentro do hospital justamente para facilitar o deslocamento delas. É uma conquista muito significativa para a unidade e para a comunidade do Jardim”, destacou o secretário de Saúde.

Categorias
Destaque Gestão de Crise - Coronavírus Notícias Saúde Sem classificação

Secretaria de Saúde anuncia ampliação do número de leitos para enfrentamento do coronavírus em Cabo Frio

Hospital do Jardim Esperança dobrou capacidade de atendimento na ala de isolamento, contando agora com 24 leitos

A Secretaria de Saúde de Cabo Frio está mobilizada para a melhoria do atendimento à população no enfrentamento à pandemia do coronavírus. Depois de receber denúncias sobre superlotação na UPA de Tamoios, nesta quinta-feira (3), o titular da pasta, Dr. Bruno Alpacino, esteve pessoalmente na unidade, e assumiu a coordenação de uma grande operação de logística para transportar pacientes que estavam internados naquela UPA, levando-os para outras duas unidades da rede municipal.

Na visita, foi descoberto que 26 balas de oxigênio, que atendem à UPA de Tamoios, encontravam-se vazias, sem condições de uso, o que prejudicou o atendimento aos pacientes internados. Por conta disso, os pacientes que estavam na sala amarela foram imediatamente levados por ambulâncias da rede municipal para o Hospital Municipal Otime Cardoso dos Santos (HMOCS), no Jardim Esperança. Já os pacientes em estado mais grave, internados na sala vermelha, foram encaminhados para a o Hospital Municipal São José Operário, em São Cristóvão.

A situação foi regularizada ainda na quinta-feira, com a chegada de mais suprimentos, e o atendimento na UPA de Tamoios esteve com fluxo normal durante todo o dia. Entretanto, a falha de vigilância foi avaliada como “gravíssima” pelo secretário de Saúde, que anunciou uma série de medidas, dentre elas, o reforço na vigilância na UPA, além de abrir uma sindicância para apurar o ocorrido e identificar responsáveis.

Mais leitos no Hospital do Jardim Esperança
Na sexta-feira (4), a Secretaria de Saúde informou que dobrou o número de leitos para atendimento de pacientes com sintomas de COVID-19 no HMOCS, passando de 12 para 24 leitos na ala de isolamento. O atendimento à população nesta ala está funcionando, com abastecimento normal de insumos e medicamentos para tratamento contra o coronavírus.

Com a abertura desses novos leitos, a expectativa da Secretaria de Saúde é que haja reflexos diretos também na UPA do Parque Burle, onde está montada uma tenda de triagem para pacientes com suspeita de covid-19.

UPA do Parque Burle tem mais de 300 atendimentos por dia em novembro
Nos últimos dias, a UPA do Parque Burle recebeu um número acima da capacidade média de atendimento, não só de pacientes com suspeita de COVID-19 como também pessoas que estão com outros problemas de saúde. Além disso, foi notado pela administração daquela unidade um aumento no número de pessoas de cidades vizinhas na procura por atenção de urgência. Somente em novembro, a UPA do Parque Burle realizou 9540 atendimentos nas mais diversas especialidades.

A Secretaria de Saúde informa, ainda, que, especialmente em relação aos pacientes que chegam à UPA do Parque Burle com suspeita de coronavírus que a tenda de triagem que o tempo mais longo de espera, em alguns casos, se deve ao protocolo que é adotado.

Dependendo do período em que o paciente está com os sintomas, além do teste rápido e do RT-PCR (que é feito com swab na mucosa nasal), são necessários outros procedimentos, tais como exame de sangue e tomografia computadorizada. Como alguns destes exames não são realizados na UPA, a Secretaria de Saúde tem um protocolo padrão que inclui a acomodação do paciente, os primeiros atendimentos e a espera pelos resultados. Caso seja necessário, o paciente permanece internado na unidade.