Categorias
Destaque Meio Ambiente Notícias

Inscrições para o 1° Encontro de Observadores de Aves estão abertas, em Cabo Frio

O evento acontece no Parque Ecológico Municipal Dormitório das Garças, na manhã de 11 de dezembro

Buscando estimular a prática do ecoturismo de observação e fotografia de aves residentes e migratórias, será realizado em Cabo Frio o 1° Encontro de Observadores de Aves. O evento acontece no Parque Ecológico Municipal Dormitório das Garças, na Avenida Wilson Mendes, s/n, no dia 11 de dezembro (sábado), a partir das 6h da manhã.

Para participar da atividade, que também busca incentivar a visitação pública consciente aos parques municipais da cidade, basta acessar o link: bityli.com/iHq3S4 e preencher os dados. As inscrições vão até o dia 10 de dezembro. No dia do encontro é importante levar água, protetor solar, utilizar roupas leves, calçados confortáveis, chapéu (boné) e óculos de sol.

Apesar de ser uma atividade antiga na Europa e nos Estados Unidos, o Brasil é um destino famoso, pois possui mais de 1.919 espécies, de acordo com o Comitê Brasileiro de Registros Ornitológicos (CBRO). Cabo Frio, por sua localização geográfica, tem papel importante na migração de espécies de aves aquáticas que encontram no município o descanso e a alimentação necessária para a longa jornada.

Com a multiplicação de comunidades virtuais e a formação de grupos que viajam o país em busca de registros dos seus pássaros preferidos ou de registros inéditos, muitos observadores publicam as fotos no site: “wikiavesbrasil”, um dos maiores do mundo sobre o assunto. De acordo com o portal, somente de Cabo Frio existem atualmente 5423 fotos de aves, num total de 265 espécies registradas de 62 observadores de diversas localidades.

DORMITÓRIO DAS GARÇAS

O Dormitório das Garças é um ecossistema de manguezal revestido de importância especial por estar situado no início da maior laguna hipersalina do planeta em estado permanentemente aberto, e abriga uma população com cerca de 1.400 garças brancas, colhereiros (visitantes sazonais), além de mais 39 espécies de aves. Ocupando uma área de aproximadamente 215.000 m², não recebendo qualquer aporte sistemático de água doce, o parque apresenta relevo plano, clima seco, alta insolação, baixa pluviosidade e ventos constantes.

Categorias
Destaque Meio Ambiente Notícias Turismo

Bandeira Azul é novamente hasteada na Praia do Peró, em Cabo Frio

Símbolo da premiação ecológica internacional ficará exposto até novembro de 2022

A Bandeira Azul foi novamente erguida na Praia do Peró, em Cabo Frio, para a temporada 2021/2022. A cerimônia foi realizada na tarde desta quinta-feira (25) e contou com a presença do prefeito José Bonifácio, secretários municipais e vereadores. A premiação internacional é dedicada ao reconhecimento da gestão sustentável de praias, marinas e embarcações de turismo, e ficará exposta na praia até 1 de novembro de 2022.

Esta é a quarta vez que o selo de qualidade ambiental é concedido à praia cabo-friense. O principal objetivo do símbolo é conscientizar a sociedade quanto à necessidade de proteger ambientes marinhos e costeiros, incentivando a realização de ações com foco em qualidade e proteção ambiental.

“Este trabalho foi iniciado pelos Amigos do Peró, que lutaram muito junto aos governos anteriores para essa conquista. Estamos apenas consolidando e assumindo este compromisso para que todos os anos a gente possa ter essa bandeira hasteada aqui, na Praia do Peró. As exigências são grandes, mas dependemos demais da conscientização da sociedade para que este selo continue sendo aprovado”, declarou o prefeito José Bonifácio.

A solenidade contou com a participação musical de Rogério Ramos, que compôs uma música especialmente para a Praia do Peró e para a Bandeira Azul, além de Jorge Villas, que entoou o Hino de Cabo Frio no momento do hasteamento, realizado pela Guarda Marítima e Ambiental.

Para ganhar o cobiçado certificado internacional, é preciso que as praias e marinas candidatas cumpram 34 critérios específicos de qualidade da água, segurança, gestão, educação ambiental e serviços de turismo sustentável. Todos precisam ser comprovados anualmente para que a bandeira permaneça hasteada.

Durante a cerimônia, o secretário de Meio Ambiente e Saneamento, Juarez Lopes, recebeu das mãos de Leana Bernardes, coordenadora nacional da Bandeira Azul, o prêmio de Destaque Nacional em Educação Ambiental, que foi concedido pelo Júri Nacional ao secretário e aos gestores da praia, por conta das atividades realizadas pela equipe Bandeira Azul na Praia do Peró.

Entre as ações, foram realizadas atividades envolvendo temas como lixo marinho; inventário da diversidade local; série de seminários on-line de gestão e educação ambiental; tour virtual e livro digital. Todos os registros fotográficos das ações foram expostos ao lado da Bandeira Azul, e estarão disponíveis no 1º Encontro de Educação Ambiental e Ciência Cidadã em Praias no Peró, que será realizado no dia 8 de dezembro, no Hotel Paradiso Peró.

“Fico muito feliz com este prêmio, que é um esforço coletivo. Nossa ideia é levar este selo para o Pontal do Peró, Praia das Conchas, entre outras. A Bandeira Azul é muito significativa, porque traz pra gente este conceito de ocupação correta, da forma que tem que ser, sem que se transforme em uma ocupação predatória”, afirmou o secretário de Meio Ambiente e Saneamento.

O resultado das avaliações feitas pelo Júri Internacional do Programa Bandeira Azul para a temporada 2021/2022 foi anunciado em outubro. O Brasil garantiu 28 aprovações, sendo seis marinas e 22 praias contempladas com o selo ecológico. Dessas 22 praias, apenas quatro são do estado do Rio de Janeiro. Cabo Frio é a única do interior do estado a ser contemplada. As outras ficam nas cidades do Rio de Janeiro e Niterói.

Categorias
Destaque Meio Ambiente Notícias

Cabo Frio terá primeiro Centro de Visitação do Projeto Albatroz no Brasil

Projeto socioambiental terá uma sede no município cabo-friense, que será construída às margens da Lagoa de Araruama

Cenário repleto de belezas naturais e históricas, Cabo Frio será sede para o primeiro Centro de Visitação e Educação Ambiental Marinha do Projeto Albatroz no Brasil, iniciativa patrocinada pela Petrobras. Presente em sete cidades do Brasil, o Projeto Albatroz desenvolve pesquisas para ações de Educação Ambiental junto aos pescadores, aos jovens e às escolas. A unidade de Cabo Frio será a primeira a ter o Centro de Visitação.

No dia 11, o prefeito José Bonifácio recebeu representantes do projeto para conhecer mais sobre as ações desenvolvidas e alinhar parcerias junto à gestão municipal.

A previsão é de que a sede de Cabo Frio seja entregue até o final de 2022. Com área útil de mais de 18 mil m², ao lado do Parque Ecológico Municipal Dormitório das Garças e da Lagoa de Araruama, cedida por meio da Lei Nº 179/2019, o Centro Albatroz terá áreas de recreação, pavilhões de exposições e atividades com o público, prédios com salas para aulas e oficinas com a comunidade, além de Centro Interpretativo com trilha autoguiada, em que os visitantes poderão conhecer mais a região da lagoa e reconhecer as principais espécies de aves que sobrevoam a região.

O Projeto Albatroz nasceu em Santos, litoral paulista, e desde 1990 trabalha pela conservação das espécies de albatrozes e petréis que se alimentam em águas brasileiras. Desde 2014, o Projeto mantém uma base avançada de pesquisa na Universidade Veiga de Almeida (UVA), no campus de Cabo Frio. Por meio da parceria com o Grupo de Estudos da Pesca (GEPesca), coordenado pelo professor Eduardo Pimenta, foi possível ampliar os estudos na cidade. Atualmente, o Projeto mantém bases de pesquisa em seis estados brasileiros.

“A Prefeitura de Cabo Frio é nossa grande parceira, além de apresentar o projeto com mais detalhes, alinhamos laços junto ao governo. O objetivo é que possamos nos inserir nos projetos da Prefeitura, assim como ter a prefeitura próxima. Tivemos ainda a oportunidade de estreitar laços com o prefeito, para que junto à gestão possamos ter base de pesquisa em educação ambiental e visitação turística, que são as metas do Projeto Albatroz em Cabo Frio”, afirma o biólogo Eduardo Pimenta, consultor regional do Projeto Albatroz.

Também estiveram presentes na reunião a fundadora e coordenadora geral do Projeto Albatroz, Tatiana Neves, e os arquitetos responsáveis pelo projeto de construção da sede, André Mafra e Evandro Babu.

Categorias
Destaque Meio Ambiente Notícias Turismo, Esporte e Lazer

Júri Internacional aprova renovação do Programa Bandeira Azul, na Praia do Peró, em Cabo Frio

Selo que busca desafiar gestores a alcançarem altos padrões de qualidade em praias, marinas e embarcações é renovado pela quarta vez

Pelo quarto ano consecutivo, a Praia do Peró, em Cabo Frio, vai hastear a Bandeira Azul. O resultado da maior premiação global dedicada a gestão de praias, marinas e embarcações de turismo foi divulgado na última sexta-feira (1). O Júri Internacional, reunido na Dinamarca, aprovou a renovação do certificado de qualidade após avaliar as candidaturas de todos os países do hemisfério Sul para a temporada de 2021/2022.

O principal objetivo do Programa é conscientizar a sociedade como um todo quanto à necessidade de proteger ambientes marinhos e costeiros, incentivando a realização de ações com foco em qualidade e proteção ambiental. Para a qualificação ao prêmio, diversos critérios são necessários, como a qualidade da água, atividades de educação ambiental, além de segurança e serviços de turismo sustentável. Todos esses critérios precisam ser comprovados anualmente.

“Uma alegria imensa estarmos quatro anos seguidos com esse prêmio, com governos distintos e com muito trabalho pra manter todos os padrões. Estamos muito contentes e hoje já estamos trabalhando para seguirmos em busca da quinta premiação. Quero agradecer ao secretário de Meio Ambiente e Saneamento, Juarez Lopes, e ao adjunto de Gestão Ambiental, Diego Mureb, que foram muito importantes para essa conquista”, declarou a coordenadora da Bandeira Azul na Praia do Peró, Paloma Arias Ordiales.

De acordo com o secretário de Meio Ambiente e Saneamento, Juarez Lopes, que pretende ampliar a candidatura para outros locais da cidade, a renovação da certificação é muito importante para Cabo Frio e um exemplo de continuidade, mesmo em um ano desafiador para que as praias cumprissem com todos os critérios estabelecidos pelo programa.

“A renovação é motivo de muita honra e também de muita preocupação, porque traz uma responsabilidade grande, pois é o modelo de gestão de ordenamento costeiro que queremos. Essa renovação é o compromisso do modelo de praia que pretendemos, multiplicando o conceito de Bandeira Azul para outros territórios. Em breve levaremos esse modelo para outros locais do município”, afirma Juarez.

A cerimônia de hasteamento será realizada entre novembro e dezembro, em data que ainda será divulgada. A bandeira ficará exposta na Praia do Peró até 1 de novembro de 2022.

Ao longo dos anos, o Bandeira Azul tornou-se um rótulo ecológico altamente respeitado e reconhecido, trabalhando para reunir os setores de turismo e meio ambiente de maneira local, regional e internacional. O certificado foi criado pela FEE – Foundation for Environmental Education, que é uma instituição internacional com diversos integrantes representando seus respectivos países. No Brasil, o Operador Nacional do programa é o IAR – Instituto Ambientes em Rede, localizado em Florianópolis – SC.

Categorias
Destaque Meio Ambiente Notícias Turismo Turismo, Esporte e Lazer

Prefeito José Bonifácio assina carta para instalação de Geoparque em Cabo Frio

Ação fez parte da programação em comemoração ao Dia Internacional da Biodiversidade

O prefeito de Cabo Frio, José Bonifácio, assinou, neste sábado (22), uma carta de intenções para a futura instalação da sede do Projeto Geoparque Costões e Lagunas do Estado do Rio de Janeiro dentro do Parque Ecológico Municipal do Dormitório das Garças, na Avenida Wilson Mendes. 

A ideia é que, através de parceria, sejam promovidas atividades de pesquisa, desenvolvimento, inovação e educação ambiental aos moradores da cidade, com promoção da diversidade da fauna e flora do Dormitório das Garças.

A assinatura foi uma das ações em comemoração ao Dia Internacional da Biodiversidade, celebrado na mesma data. Além desta ação, a Prefeitura de Cabo Frio elaborou outras atividades que envolveram as secretarias de Turismo, Esporte e Lazer, e de Meio Ambiente e Saneamento, em parceria com o Projeto Geoparque Costões e Lagunas. Entre elas, uma caminhada em parte do primeiro trecho da trilha Trans Cabo Frio, e uma visita técnica na Fazenda Campos Novos.

Em seu discurso na solenidade, o prefeito José Bonifácio agradeceu a presença da Polícia Ambiental, do ex-deputado Jânio Mendes, da professora Yone Nogueira, e comemorou a parceria que promoverá a cooperação técnica, científica e tecnológica com o Projeto Geoparque Costões e Lagunas, que é reconhecido pela sociedade por sua excelência em pesquisas de qualidade no Estado do Rio.

“Podemos ter aqui, no Dormitório das Garças, uma ocupação mais intensa e permanente junto aos nossos estudantes das redes públicas e também da rede privada. Vamos trazer nossos jovens para conhecer e estudar o local. Este é um patrimônio que não podemos deixar se perder. A assinatura é como se fosse uma pedra fundamental de um edifício que começa a se construir a partir de agora”, afirmou Bonifácio.

O documento foi assinado a quatro mãos: além do prefeito José Bonifácio, também assinaram a geóloga Kátia Mansur, o secretário de Meio Ambiente e Saneamento, Juarez Lopes, e a homenageada e ícone na história da educação e cultura de Cabo Frio, professora Yone Nogueira, que declamou um poema para os presentes. 

Entre o que assistiram a solenidade de assinatura estavam o secretário de Turismo, Esporte e Lazer, Carlos Cunha, a secretária da Melhor Idade, Delamar Sant’Anna, o secretário adjunto de Comunicação, Marcos Azevedo, o secretário adjunto de Subchefia do Gabinete, Pedro José, e o ex-deputado estadual e atual diretor financeiro da Assembleia Legislativa do Rio de Janeiro (Alerj), Jânio Mendes.

PARCERIA INÉDITA NA ÁREA DE EDUCAÇÃO AMBIENTAL

Cabo Frio pode ser o primeiro município do Estado a fechar este tipo de cooperação técnica que une um trabalho de educação ambiental na área de geologia e auxílio na implementação de trilhas interpretativas com informação sobre geologia e geomorfologia. Também na promoção de cursos para professores, guias e pessoas ligadas ao meio ambiente, juntando as informações geológicas com informações culturais, montando um programa de gestão do patrimônio integrado da cidade.

“Nosso projeto busca trazer um pouco da nossa história ancestral. Em Cabo Frio temos um bom pedaço da história do planeta Terra para contar. O Geoparque tem uma chancela internacional para uma área que tem um patrimônio geológico de valor no mundo inteiro. O que estamos buscando é integrar ações que unam educação e geoturismo à conservação deste patrimônio existente. Estamos muito felizes de assinar essa carta”, comemorou a geóloga e coordenadora do projeto, Kátia Mansur.

Os geoparques são áreas chanceladas pela UNESCO (Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura) que buscam combinar conservação, desenvolvimento sustentável e envolvimento da população local. São áreas geográficas únicas onde os sítios e paisagens com significância internacional são geridos com um conceito de proteção, educação e desenvolvimento sustentável. 

O Parque Ecológico Municipal Dormitório das Garças foi escolhido por representar um ecossistema de manguezal revestido de importância especial por estar situado no início da maior laguna hipersalina do planeta, em estado permanentemente aberto. A unidade abriga uma população de cerca de 1.400 garças brancas, colhereiros (visitantes sazonais), além de mais 39 espécies de aves.

É predominantemente um siriubal (mangue negro), ocupando uma área de aproximadamente 215 mil m², não recebendo qualquer aporte sistemático de água doce, apresentando relevo plano, clima seco, alta insolação, baixa pluviosidade e ventos constantes.

TRANS CABO FRIO E FAZENDA CAMPOS NOVOS

Algumas horas antes da assinatura da carta de intenções, ainda na manhã de sábado (22), o prefeito José Bonifácio reuniu parte do seu secretariado e puxou a fila no percurso da primeira parte da trilha Trans Cabo Frio, que foi inaugurada no mês de abril. 

O projeto total tem cerca de 53 km, começando no limite com Arraial do Cabo e terminando no limite com Barra de São João, distrito de Casimiro de Abreu. No entanto, o primeiro trecho inaugurado tem cerca de 7 Km, começando na Ogiva, ao lado do Hotel Porto Veleiro, e seguindo pela Praia Brava, Ponta do Chapéu e Caverna dos Escravos. No meio caminho há ainda a opção de acessar a trilha do Farol da Lajinha, de onde se tem um dos visuais mais belos da cidade.

Passando pela Caverna dos Escravos, há uma gruta de cerca de 50 metros de comprimento e três de altura, que abriga várias histórias. A trilha continua na rochosa Ponta do Chapéu, de frente para algumas ilhas da cidade, e vai até a Praia das Conchas.

“É uma trilha extraordinária. Eu, como cabo-friense, e com 76 anos, é a primeira vez que faço uma trilha neste local. Vamos continuar trabalhando para que este turismo ecológico e de preservação ambiental cresça cada vez mais na nossa cidade. Convido a todos para que venham desfrutar desta trilha maravilhosa”, afirmou o prefeito José Bonifácio.

Simultaneamente, na Fazenda Campos Novos, em Tamoios, um grupo da Secretaria de Meio Ambiente e Saneamento e do Projeto Geoparque Costões e Lagunas, realizou uma visita técnica para reconhecimento dos indicadores de variação do nível do mar que existem no local, provenientes dos últimos milhões de anos de evolução do planeta.

Os visitantes fizeram uma trilha e mapearam os locais onde há indícios da passagem do Rio Una na parte de dentro da fazenda, além de encontrarem vestígios das mais severas variações climáticas, como sinais de glaciação e deglaciação, além de conchas que corroboram com as descobertas realizadas no lugar.

Categorias
Destaque Fiscalização de Posturas Meio Ambiente Notícias

Três quiosques são multados por desrespeito às normas de ordenamento da praia

Um restaurante foi notificado por excesso de mesas. Operação segue em andamento em todas as praias da cidade

A Prefeitura de Cabo Frio segue com a operação de ordenamento das praias da cidade. Nesta terça-feira (5) três quiosques da Praia do Peró foram multados por desrespeito às novas regras, que já estão valendo. De acordo com os fiscais do Meio Ambiente e da Fiscalização de Posturas, os estabelecimentos estavam com mais jogos de mesas do que o permitido.

A nova regra define que cada barraca, quiosque ou restaurante só pode dispor de, no máximo, dez jogos de mesas, que devem ser colocados aos poucos, conforme a demanda de clientes. Um restaurante da orla do Peró foi notificado pela mesma infração.

Pelo novo regulamento, após a notificação, caso o descumprimento continue, o estabelecimento será multado, podendo perder a licença em caso de recorrência, e ter materiais apreendidos.

Na Praia do Forte, os fiscais seguem orientando barraqueiros, quiosqueiros, restaurantes e banhistas quanto às normas de ordenamento e conduta. O uso de caixa de som está proibido e, segundo a fiscal de Meio Ambiente, Marcela Santana, quem desrespeitar a lei terá o equipamento apreendido.

“Orientamos a todos que desliguem o aparelho, mas se houver negativa ou o som estiver muito alto, o equipamento será apreendido. O correto é que as pessoas não levem caixas de som para a praia”, alertou Marcela.

Categorias
Destaque Meio Ambiente Notícias

Prefeitura apreende 75 caixas de som nos primeiros três dias de governo

Uso de aparelhos sonoros é proibido em espaços públicos; estabelecimentos precisam se adequar

O novo governo municipal de Cabo Frio está fazendo um grande esforço, já neste início de mandato, para combater a desordem na cidade. Um dos motivos é a poluição sonora. Entre sexta-feira (1º) e segunda (3), diversas operações foram realizadas, resultando na apreensão de 75 aparelhos sonoros nas praias do Forte e do Peró, além de alguns bares da cidade.

A ação foi realizada em parceria entre a Guarda Civil Municipal, a Fiscalização de Posturas, a Secretaria de Meio Ambiente, o 25º Batalhão de Polícia Militar e a Unidade de Policiamento Ambiental (Upam). 

No fim de semana, agentes estiveram na Praia Dunas do Peró, onde todos os barraqueiros e ambulantes foram notificados sobre as normas de ordenamento das orlas cabo-frienses. Entre as novas determinações, cada barraca ou quiosque poderá dispor, no máximo, de dez jogos de mesas na areia. O uso de caixas de som está proibido. Todos devem apresentar a licença da Prefeitura, e os licenciados devem ser moradores de Cabo Frio. O prazo para adequação às novas regras termina nesta terça-feira (5).

Durante a operação no Peró foram encontradas várias irregularidades, como barracas fixas, fogões, churrasqueiras, freezers e bugres, todos posicionados nas dunas, o que configura crime ambiental. Sete notificações foram aplicadas e os ambulantes que atuam no local devem retirar tudo o que não está de acordo com a lei ambiental.

“Somente barracas móveis são permitidas, e devem ser montadas e desmontadas todos os dias. Teve um caso em que a pessoa utilizou a areia da própria duna para escorar a barraca, o que é proibido e configura crime ambiental. Todos os barraqueiros que atuam no local devem se adequar, apresentar as licenças de funcionamento da Prefeitura e respeitar as demais regras”, afirmou a fiscal do Meio Ambiente da Prefeitura de Cabo Frio, Marcela Santana, que acompanhou a operação durante todo o fim de semana.

Bar autuado por poluição sonora

No domingo (3), um bar foi autuado na Rua Nilo Peçanha por poluição sonora, excesso de mesas e aglomeração de pessoas. De acordo com a Fiscalização de Meio Ambiente, moradores próximos ao estabelecimento ligaram para a UPAM e para o Corpo de Bombeiros, que foram para o local.

“O proprietário foi autuado e está proibido de colocar caixa de som na calçada. Ele também foi notificado sobre o excesso de mesas e sobre a aglomeração de pessoas no estabelecimento”, disse ainda Marcela Santana.

No fim de semana, os agentes percorreram também o Polo Gastronômico da Passagem e a Rua Porto Alegre, nas Palmeiras. Todos os comerciantes também foram notificados para adequações. A fiscalização continua em todo o município nos próximos dias.

Categorias
Destaque Meio Ambiente Notícias

Cabo Frio inicia campanha de conscientização contra o descarte irregular de bituca de cigarro nas praias

Filtro é um dos vilões de animais marinhos e aves

A Secretaria de Meio Ambiente, a Coordenação do Programa Bandeira Azul em Cabo Frio e a Associação de Quiosques do Peró iniciam, nesta terça-feira (21), campanha de conscientização contra o descarte irregular de bituca de cigarro nas praias. O filtro é um dos vilões dos mares e uma das causas de mortes de animais marinhos e pássaros.

De acordo com a organização, serão instalados oito banners distribuídos nas praias do Peró, do Forte, do Foguete e em Tamoios. As peças gráficas começaram a ser instaladas no Peró, nesta terça, e trazem as frases “A praia não é cinzeiro”, “ Cinco anos para se decompor, “Cerca de cinco trilhões de pontas de cigarro poluem os litorais do planeta” e “Cada coisa no seu lugar! E o das bitucas não é no mar”. A ideia é promover educação ambiental por meio da mudança de comportamento, que é um dos critérios fundamentais da Certificação Internacional Bandeira Azul.

“Depois que iniciamos a campanhas de limpezas das praias visualizamos que o grande vilão são as bitucas de cigarro e, por isso, começamos esta campanha para conscientizar os banhistas que estes resíduos poluem a areia”, explicou a coordenadora do Bandeira Azul, Paloma Aires.

Segundo ela, a Organização das Nações Unidas (ONU) considera a bituca como o resíduo mais encontrado nas praias. Os dados encontraram respaldo em um estudo realizado pela Universidade Veiga de Almeida, campus Cabo Frio, realizado pelos alunos de Engenharia Ambiental com orientação do professor Eduardo Pimenta. O trabalho foi feito após o último mutirão de limpeza das praias, chamado “Cabo Frio de Ponta a Ponta”, que ocorreu em setembro.

Conforme o levantamento, a bituca de cigarro foi o item encontrado em maior quantidade entre os microlixos recolhidos nas praias do Forte (1.375 unidades) e Peró (464). Para o Secretário de Meio Ambiente, a limpeza nas praias é realizada diariamente pelas equipes, mas que a população precisa colaborar.

“Não são só os plásticos que causam danos ao meio ambiente, os microlixos também. As bitucas fazem parte desse grupo e acabam sendo, muitas vezes, ignoradas”, afirmou Mario Flavio.

Categorias
Destaque Meio Ambiente Notícias

Teste laboratorial atesta balneabilidade da Praia do Peró

Pequenos fragmentos de óleo foram coletados na Praia do Peró, na última sexta-feira (29), pela Secretaria de Meio Ambiente. O material, cerca de 100 gramas, foi encaminhado para análise no Instituto de Estudos do Mar Almirante Paulo Moreira (IEAPM), e o resultado constatou como sendo não compatível com óleo encontrado no litoral da região Nordeste e Espírito Santo.

“Realizei pessoalmente junto com os agentes azuis uma vistoria completa em toda área certificada e também em uma grande área não certificada da praia do Peró. Encontramos alguns poucos fragmentos de óleo, bastante ressecados, e conforme protocolo fixado junto a marinha do Brasil, encaminhamos imediatamente para análise dos mesmos”, comentou Carlos Magno da Silva Maiques, coordenador geral do Programa Bandeira Azul em cabo Frio.

Neste mesmo dia, o Laboratório Oceanus – Hidroquímica realizou a coleta da água, teste realizado a cada 21 dias para atestar a qualidade, condição imperativa para a manutenção da Certificação Bandeira Azul. A coleta desta semana serviu, também, para afastar qualquer hipótese de que haja contaminação por óleo no balneário. O resultado sai nos próximos dias.

A coleta anterior foi realizada no dia 9 de novembro e o resultado foi considerado “excelente”.

Categorias
Destaque Meio Ambiente Notícias Turismo

Instituída Comissão Gestora do Programa Bandeira Azul para temporada 2019/2020

A Prefeitura de Cabo Frio institui a Comissão Gestora do Programa Bandeira Azul para a temporada 2019/2020 na Praia do Peró.  Entre as funções do grupo estão auxiliar nos procedimentos necessários à execução de serviços e obras públicas, manutenção do certificado e realização de atividades que garantam o atendimento e divulgação das diretrizes do Programa.

Compõe o comitê, presidido por Marcos Felipe Vargas da Silva representante da Secretaria Municipal de Meio Ambiente, os servidores Eduardo Pimeta, da Comsercaf ; Flávio José Scali Reynaldo, da Secretaria de Obras e Serviços Públicos; Gustavo Corrêa Gonçalves, da Secretaria de Agricultura e Pesca; Istony de Souza Gomes, da Coordenadoria-Geral de Serviços Públicos; Izaias Ribeiro, da Coordenadoria-Geral da Guarda Municipal.

Completam a lista Jean Pierre de Cristo, representando a Superintendência da Guarda Marítima e Ambiental; Maicon Antonio Loiola da Conceição, da Secretaria Municipal de Governo; Luciano Moreira da Coordenadoria-Geral de Comunicação; Marcos Felipe Vargas da Silva, da Coordenadoria-Geral de Licenciamento e Fiscalização de Postura e Segurança; Rogério Guimarães, da Secretaria Municipal de Mobilidade Urbana e Thais Magalhães Alves Pereira, da Secretaria Municipal de Turismo.

Será de responsabilidade da comissão organizar a melhor forma de participação popular e de que maneira essas sugestões serão adotadas durante o período.

Sobre a certificação

A orla certificada da Praia do Peró tem 500 metros de extensão, e recebeu uma série de intervenções estruturais para a adequação aos 34 critérios do Bandeira Azul. Da troca de postes à recuperação das vias de acesso, passando pela pintura padronizada dos quiosques, colocação de rampa, esteiras de acessibilidade escadas e chuveiro, os moradores do Peró, comerciantes locais, rede hoteleira e o Poder Público trabalharam em conjunto, desde o fim da primeira temporada de certificação.

Categorias
Destaque Meio Ambiente Notícias Turismo

Trilha beneficente será realizada em Cabo Frio

Nem só de belezas naturais vive Cabo Frio. O cenário paradisíaco da lha do Japonês e do Farol da Lajinha vai ser palco de uma trilha do bem. Organizada pelo projeto “O Saber Fora da Sala de Aula”, o evento vai ser realizado no sábado (30). O ponto de encontro será às 8h, no estacionamento da ilha. Para participar basta levar um brinquedo novo ou usado, em boas condições. O evento é aberto ao público.

As inscrições para a trilha beneficente podem ser feitas pelo telefone (22) 9.9968-4791. O passeio terá duração de no máximo três horas. As doações arrecadadas serão entregues ao Orfanato Aldeia Feliz, em São Pedro da Aldeia, no dia 15 de dezembro. A orientação da organização é ir com roupas leves e levar água para hidratar.

O “O Saber Fora da Sala de Aula” existe desde 2014 e um dos braços de um outro projeto chamado “Sinaliza_Ação”, realizado pela professora de Geografia, Laillah Patrício, que trocou o ambiente fechado da sala de aula por trilhas ecológicas. O passeio começou voltado para estudantes e depois foi aberto à comunidade.

“Durante minhas aulas de geografia comecei a trabalhar a educação ambiental em qualquer tema geopolítico, fazendo com que os alunos compreendessem que somos inteiramente dependentes do meio natural. Comecei a apresentar minhas expedições e experiências na vida acadêmica (aulas passeio), tentava passar cada sensação vivenciada, apelei para fotos e vídeos, tudo isso em uma sala de aula, então surgiu a ideia das trilhas”, explicou.

Quem participar da trilha irá desfrutar de uma paisagem exuberante. O Farol da Lajinha foi construído em 1913 e é um dos mirantes mais bonitos de Cabo Frio e tem cerca de 7 metros de altura. A trilha é fácil e tem cerca de 2 km e saindo da entrada da Ilha do Japonês. No alto do mirante é possível avistar a cidade de Arraial do Cabo, Praia do Forte de Cabo Frio, Ilha do Japonês e Praia Brava.

Categorias
Destaque Meio Ambiente Notícias

Prefeitura de Cabo Frio em alerta para chegada do óleo que atingiu praias nordestinas

A Prefeitura de Cabo Frio, por meio da Secretaria do Meio Ambiente e da Guarda Marítima e Ambiental, está em alerta máximo para evitar que o petróleo que atingiu as praias do Nordeste do Brasil e do Espírito Santo chegue às praias da cidade. Segundo o Laboratório de Análise e Processamento de Imagens de Satélite (Lapis) da Universidade Federal de Alagoas, a direção e intensidade das correntes marítimas e ventos na superfície do mar serão determinantes para a chegada do óleo ao Rio.

O governo do Estado criou um grupo de trabalho especial para a vigilância da costa fluminense. O objetivo é garantir uma pronta resposta em caso de o petróleo chegar ao Estado e a Prefeitura de Cabo Frio está inserida nessa união de forças. O grupo é coordenado pela secretária estadual do Ambiente e Sustentabilidade, Ana Lúcia Santoro, e composto por técnicos da secretaria e do Instituto Estadual do Ambiente (Inea).

Desde a segunda-feira (11), o Inea iniciou a capacitação dos 25 municípios costeiros do estado. Inicialmente, o foco será nos municípios do Noroeste Fluminense e Região dos Lagos e, na próxima semana, nos municípios da Região Metropolitana e do Sul Fluminense.
Em nota, o Inea afirmou que capacitou 80 pessoas, entre técnicos da Defesa Civil estadual, do Corpo de Bombeiros e do próprio órgão ambiental, além de militares do Exército para atuação em caso de surgimento de óleo na costa.

A Prefeitura de Cabo Frio tem cerca de 30 pessoas, entre agentes e guardas ambientais, além de pescadores da Colônia Z-4, que foram capacitadas pela Petrobras, em ação realizada em Arraial do Cabo, decorrente do vazamento de óleo em abril deste ano, do Campo de Marlim Leste, na Bacia de Campos, que atingiu praias de cabo Frio, Arraial do Cabo e Búzios.

“Essa capacitação fez parte de um acordo entre a Petrobras e os municípios atingidos pelo vazamento de Marlim Leste, e inclui, ainda, a doação de uma embarcação, equipamentos para a contenção e retirada do óleo no mar e na areia e equipamentos de proteção individual (EPIs) para as pessoas que vão realizar o trabalho. Na última sexta-feira (8), estivemos na sede da empresa, para cobrar a entrega desses materiais, que nos foi prometida entre 30 e 45 dias. Logo, não podemos contar com a chegada desse material, assim como não é garantido que o óleo chegue às nossas praias. Caso aconteça, estamos tomando todas as medidas preventivas ao nosso alcance”, afirmou o secretário de Meio Ambiente, Mario Flavio Moreira.

Óleo

O derramamento de petróleo na costa brasileira já atingiu 546 localidades, das quais apenas 226 foram registradas como limpas pelo Ibama (Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis) até esta quinta-feira (14).

Nesta semana, o desastre que começou no Nordeste se expandiu também para o Sudeste, atingindo praias no Espírito Santo. Ao menos 14 unidades de conservação foram afetadas, matando animais e prejudicando a economia da região.

Até esta quinta-feira (14), o Ibama (Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis) havia registrado a presença de óleo em 546 locais de 112 municípios e dez estados do Nordeste e do Sudeste. É a maior área já afetada por um desastre do tipo, segundo o pesquisador e professor da Faculdade de Oceanografia da UERJ (Universidade Estadual do Rio de Janeiro) David Zee.
As primeiras manchas apareceram na Paraíba e em Sergipe no fim de agosto e depois se espalharam para os outros lugares. Em ao menos cem dos locais afetados, o óleo havia desaparecido na visita mais recente feita por técnicos.

O derramamento causou danos a ecossistemas da região. O Ibama registrou 135 animais atingidos, dos quais 95 morreram, e recolheu preventivamente mais de 3.400 filhotes de tartaruga da Bahia, Sergipe e Rio Grande do Norte. O ICMbio (Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade) afirmou que 14 unidades de conservação federais foram afetadas.

Atividades que dependem do mar, como a pesca, também foram prejudicadas. O governo liberou o pagamento fora de época de seguro-defeso (benefício pago aos pescadores na época de reprodução dos peixes, em que a pesca fica proibida) aos trabalhadores das áreas atingidas. Estima-se que até 60 mil pessoas poderão reivindicar o dinheiro, o que representaria um custo de R$ 130 milhões.

Reunião com representantes da Petrobrás
Reunião com representantes da Petrobrás no Rio de Janeiro

Categorias
Destaque Meio Ambiente

Prefeitura institui o Programa Municipal de Regularização Fundiária Urbana

Como forma de unificar as ações jurídicas, urbanísticas, ambientais e sociais para a regularização de imóveis em todo o município de Cabo Frio, a Prefeitura de Cabo Frio instituiu o Programa Municipal de Regularização Fundiária Urbana (REURB). O objetivo é dar suporte para as secretarias e órgãos da administração pública municipal no planejamento, coordenação, acompanhamento e implementação das ações que visam à regularização fundiária.

O decreto 6108 foi publicado em 25 de outubro no jornal de publicações oficiais do governo. O REURB está a cargo da Coordenadoria-Geral de Assuntos Fundiários, da Secretaria de Desenvolvimento da cidade, e é aplicado em duas modalidades. O REURB-S, ou REURB Social, que auxilia famílias com renda familiar de até cinco salários mínimos em toda a tramitação documental. Já o REURB – E, que organiza e faz a tramitação documental dos imóveis de famílias com renda de mais de cinco salários mínimos, ficando os custos por conta do responsável pelo imóvel.

A regularização fundiária consiste no conjunto de medidas jurídicas, urbanísticas, ambientais e sociais que visam à regularização de assentamentos irregulares e à titulação de seus ocupantes, de modo a garantir o direito social à moradia, o pleno desenvolvimento das funções sociais da propriedade urbana e o direito ao meio ambiente ecologicamente equilibrado. A regularização fundiária é também um instrumento para promoção da cidadania, devendo ser articulada com outras políticas públicas.
Para realização da regularização fundiária é necessário que os contribuintes detentores de imóveis no município possuam o documento de aquisição do imóvel como comprovante de doação, transferência ou recibo de compra e venda, identidade e CPF, comprovante de residência, certidão de casamento, certidão de óbito em caso de falecimento do titular, e comprovante de renda. A documentação será analisada e em seguida, serão iniciados os trâmites e regularização e posterior serviço cartorial.

Vila do Sol

O bairro Vila do Sol foi escolhido para ser o projeto piloto de regularização fundiária do município e vem sendo realizado de forma que ainda este ano possam iniciar os trâmites cartoriais titulando os moradores proprietários de imóveis com as respectivas C.R.F. (Certidão de Regularização Fundiária), aos moradores. As ações tiveram início ainda no mês de maio, com a medição dos imóveis, e o cadastramento socioeconômico das famílias pela Assistência Social do município.

A intenção da Coordenadoria de assuntos Fundiários é ampliar as ações do REURB para todos os bairros da cidade, iniciando também em breve no Distrito de Tamoios, seguindo um pedido do próprio prefeito, Dr. Adriano Moreno.

“Historicamente, em alguns bairros, há uma dificuldade de comprovação na propriedade dos imóveis. O REURB vem para sanar este problema crônico. Faremos um cronograma de forma a contemplar todo o município, de forma com que todos os donos de imóveis possam ter a propriedade definitiva”, afirmou Ricardo Sampaio, coordenador de Assuntos Fundiários.