Cabo Frio prepara mega evento para o Dia Mundial de Mares Limpos

No próximo dia 16 de Junho é comemorado o Dia Mundial de Mares Limpos, e Cabo Frio quer marcar presença promovendo um dos maiores eventos já vistos na cidade. Promovido pelas Organizações das Nações Unidas (ONU), no Brasil ele acontece desde o ano passado coordenado pela ONU Meio Ambiente com o objetivo de, durante cinco anos, promover ações para conter a maré de plásticos que invade os oceanos. Já em Cabo Frio a realização está por conta do Bandeira Azul – Peró Fase Piloto e da Coordenadoria Municipal de Meio Ambiente, com apoio da Dive Tour, Associação de Quiosqueiros da Praia do Peró, Iate Clube do Rio de Janeiro, Trilhas e Mergulho, Espaço Society e Eventos, Associação dos Moradores do Caravelas do Peró, Somar, Acqua World, Bike Night, Apae e Amigos do Peró.


Toda a ação acontecerá numa área aproximada de três quilômetros, na Praia do Peró, com participação de cerca de 100 trilheiros, 25 integrantes do movimento Bike Night, oito mergulhadores profissionais, 60 remadores do grupo de canoas havaianas, 20 trabalhadores da Comsercaf, além de estudantes de três escolas municipais do Peró e uma de Tamoios, universitários da Veiga de Almeida, quiosqueiros da orla do Peró, Capitania dos Portos, Projeto Albatroz, Secretaria de Educação, Guarda Marítima e Ambiental e moradores entre outros voluntários.

“O evento acontece no próximo dia 16 de junho, na Praia do Peró, das 9 horas ao meio-dia, e desde que foi anunciado que Cabo Frio participaria, temos recebido muito apoio, inclusive de cidades vizinhas. Uma universidade que está se instalando em São Pedro da Aldeia, que tem curso de Gestão Ambiental, já fez contato querendo participar também”, comentou o coordenador do Programa Bandeira Azul em Cabo Frio, Carlos Magno Maiques.

A ideia, segundo a também coordenadora do Programa Bandeira Azul, Paloma Arias, é ter várias equipes atuando em várias áreas, promovendo uma limpeza ampla em todo o entorno da Praia do Peró, incluindo calçadão, areia, restinga e fundo do mar. “Teremos bandeiras sinalizando todos os pontos de ação onde as equipes estarão atuando. O pessoal do Bike Night vai circular pelas ruas do bairro chamando a atenção para o evento atraindo a atenção de mais voluntários. Também queremos trabalhar, com os quiosqueiros, a cultura de se cuidar mais da orla, mantendo a limpeza de microlixos como uma ação de rotina. Dentro deste pensamento, o programa de coleta seletiva que hoje existe na Boca da Barra também será levado para a Praia do Peró”, explicou.

Para que tudo ocorra de forma cronometrada, dentro do horário estipulado de 9 horas ao meio-dia, o grupo de trilheiros está programando uma visita antecipada para traçar o trajeto que será feito no evento. A ideia é dividir os 100 trilheiros (entre eles estudantes e moradores com apoio de profissionais) em dois grupos de 50 pessoas limpando a restinga da orla do Peró. Enquanto isso, mergulhadores profissionais estarão atuando no fundo do mar com apoio de barcos. Já as canoas havaianas começarão a limpeza antes mesmo de chegar na praia, durante o trajeto a partir do Canal do Itajuru. Estudantes da Veiga de Almeida estarão registrando tudo em fotos e vídeos para ajudar na catalogação de todos os materiais que forem recolhidos.

“Todo o lixo recolhido será depositado numa área devidamente coberta com uma lona, e separado por local de recolhimento: o que vier do mar ficará num canto, o que vier da orla, em outro, nas areias em outro, na restinga em outro. Esse cuidado é necessário porque queremos conhecer o tipo de lixo que está sendo despejado em cada lugar para que possamos desenvolver ações mais direcionadas de conscientização contra a poluição”, explicou Paloma.

A acessibilidade também estará presente. Segundo Carlos Magno, o grupo Somar Turismo Adaptado será parceiro com rampas, cadeiras anfíbias e outros materiais permitindo a participação de cadeirantes na ação. “Também teremos o Projeto Albatroz promovendo exposições de fotos e outros materiais ligados à vida marinha e à preservação dos mares. Enfim, será um evento grandioso, que vai entrar para a história de Cabo Frio e, principalmente, que vai deixar um importante legado não só para o Peró, por conta do Bandeira Azul, mas para toda a cidade, porque a ideia é promover todas essas ações de forma coletiva”, explicou Carlos Magno.

A CAMPANHA

Estima-se que 80% de todo o lixo nos oceanos é composto por plásticos e pelo que a ONU afirma que não há tempo a perder e, por este motivo, vai lançar vários apelos. A agência afirma que os governos têm de aplicar políticas para a redução de plásticos, as indústrias têm de redesenhar produtos e minimizar o uso de embalagens e os consumidores precisam alterar hábitos..

Até 2022, a agência pretende que sejam eliminados os microplásticos usados em cosméticos e acabar com “o uso excessivo e produtor de resíduos dos plásticos que são usados apenas uma vez”. A campanha pretende também apelar à prevenção, de forma a impedir que a poluição plástica chegue aos mares antes que seja tarde demais.

Até agora, 10 países já se juntaram à UNEP na campanha para a limpeza dos oceanos, incluindo a Indonésia, o Uruguai e a Costa Rica. A Indonésia pretende reduzir o lixo marinho em 70% até 2025. O Uruguai irá taxar sacos de plástico ainda em 2017. A Costa Rica implementará melhores estratégias de gestão e educação de resíduos para reduzir o plástico de uso único.

Estimativas dizem que 8 milhões de toneladas de plástico acabam nos oceanos todos os anos, o equivalente ao despejo de um caminhão de lixo de plástico a cada minuto, provocando estragos na vida aquática e ecossistemas, prejudicando também as pescas e o turismo, com custos de pelo menos oito mil milhões de dólares (7,5 mil milhões de euros), alerta a agência.

Destaque

Comentários estão desabilitados.

FECHAR ACESSIBIILIDADE
%d blogueiros gostam disto: