Espaços culturais de Cabo Frio proporcionam um mergulho na história da cidade


Exposições e recital de piano são algumas das programações para este fim de semana

Quando chega a sexta-feira, começa a movimentação para saber o que fazer no fim de semana. Em Cabo Frio, ir à praia pode até ser a programação principal, mas a cidade também conta com atividades culturais que vão proporcionar um mergulho pela história do município. A agenda cultural desta semana vai te levar à espaços culturais que trazem histórias que vão desde a formação da estrutura do prédio aos eventos que recebem nos dias atuais.

A imersão começa pela Casa de Cultura José de Dome, mais conhecido como Charitas. O local já foi orfanato, abrigo e atualmente é sede para a Secretaria de Cultura. A edificação é do século XVIII e, em 1979, é tombada pelo INEPAC. As obras de quatro grandes personalidades que se destacaram no município ficam expostas permanentes na casa secular: do poeta e escritor Victorino Carriço; do fotógrafo e arquivista Wolney Teixeira; do pintor francês Jean Guilhaume e do pintor José de Dome.

O local também recebe exposições itinerantes, como a do artista plástico e escultor, Ivan Cruz, que pode ser visitada até sexta-feira (31). A mostra individual “O peregrino da arte” conta com 35 quadros e 04 esculturas em tamanho natural de uma criança em bronze da série “Brincadeiras de Criança”. A exposição pode ser visitada no horário de funcionamento da casa, sábados e domingos, das 15h às 20h, e de segunda a sexta-feira, das 9h às 20h.

“Como filha e coordenadora do projeto “Brincadeiras de Criança” me emociona saber que veremos mais uma vez o Charitas com as obras colorindo a alegrando os visitantes.”, comemorou Ludmila Guerra.

Os salões do casarão ainda recebem lançamentos de livros, palestras e recitais de música clássica, entre outros eventos. Neste sábado (25), às 19h, a apresentação de piano fica por conta do músico baiano Vladmir Cangaussú. A programação faz parte da série Jovens Pianistas, sob a criação e direção artística de Hasenclever da Silva Oliveira e apoio da Secretaria de Cultura. Evento aberto ao público e gratuito, no entanto, os participantes podem contribuir com um valor simbólico, que será revertido para o artista da noite.

Além do Charitas, Cabo Frio possui outro ponto turístico-cultural importante: o Museu de Arte Religiosa e Tradicional (Mart). Inaugurado em 1982, o local sediou durante anos o Convento Nossa Senhora dos Anjos e abrigou frades portugueses e brasileiros, além de uma escola de noviciado.

O prédio do século XVII tem arquitetura franciscana e é considerado um dos marcos da arquitetura religiosa e do período colonial. O acervo é constituído por imagens em terracota e madeira policromada dos séculos 17 e 18. No local é possível admirar os elementos preservados do Antigo Convento.

Além exposição permanente sobre a própria história, está em cartaz a mostra temporária “Terra de Quilombo, Retrato de uma Etnia”. São fotografias de Ricardo Alves que retrata as comunidades remanescentes dos quilombos de Cabo Frio, relatando seu cotidiano, no trabalho, cultura e lazer.

Segundo o fotógrafo, “a fotografia é usada como ferramenta de identificação, promoção, empoderamento e luta contra o preconceito e o racismo, assumindo o papel de instrumento que propõe a reflexão sobre exclusão social, racial e cultural”.

As mostras podem ser visitadas no mesmo horário de funcionamento do Mart, de terça a sexta feira, das 10h às 17h, e aos sábados e feriados, das 14h às 18h. O endereço é Largo Santo Antônio, no Centro. Já o Charitas fica na Avenida Teixeira e Souza, 855, também no Centro.

Comentários Facebook

CulturaDestaqueNotícias

Agenda culturalCulturaexposiçõesMartrecital de pianoSecretaria de Cultura

Comentários estão desabilitados.

FECHAR ACESSIBIILIDADE