Prefeitura de Cabo Frio implanta comissão para identificar materiais abandonados na Secretaria de Saúde

Grupo de trabalho vai identificar e providenciar a destinação para diversos bens encontrados em estado de abandono desde 2008

A Prefeitura de Cabo Frio implantou uma Comissão de Bens Móveis para identificar, catalogar e providenciar uma destinação para materiais abandonados na Secretaria de Saúde. O grupo de trabalho vai atuar para organizar uma série de bens inservíveis e materiais que não são utilizados desde 2008.

A Comissão Permanente de Avaliação e Inventário de Bens Móveis foi instituída nesta quarta-feira (22) pelo secretário de Saúde, Felipe Fernandes. O grupo é formado pela superintendente de Licitação e Contratos da Secretaria de Saúde, Karoline Zandorá Rodrigues, pela supervisora de Gestão e Fiscalização de Contratos, Bruna de Souza Azevedo, pelo supervisor de Tecnologia de Comunicação e Dados, Gustavo Ferreira Cunha da Silva, e pela agente administrativo Carla Sodré Barbosa.

Nesta quinta (23), a coordenadora do Departamento de Patrimônio da Saúde, Joana Ferreira, esteve no galpão localizado na Morada do Samba, que possui materiais de escritório e outros tipos de inservíveis deixados de anos anteriores para a gestão atual da Prefeitura.

Parte dos equipamentos encontrados já foi reestruturada e reutilizada. O setor está em processo de inventário para prosseguir com as baixas patrimoniais.

“Desde que assumimos, estamos trabalhando duro para melhorar, além do atendimento à população, toda a gestão da saúde no município. Gerar economia aos cofres públicos é uma das nossas metas. O trabalho de identificação do patrimônio é minucioso e repleto de detalhes, por isso demanda tempo e total dedicação. São diversos materiais encontrados, como mobiliários, equipamentos hospitalares, eletrônicos e veículos. A recuperação dos bens demonstra o avanço que estamos conquistando na gestão atual”, afirma o secretário municipal de Saúde, Felipe Fernandes.

CONTRATO PARA INCINERAR MEDICAMENTOS VENCIDOS

Está em fase de cotação de preços a licitação da Secretaria de Saúde para incinerar medicamentos vencidos, que foram deixados de anos anteriores. Ao assumir em janeiro deste ano, a atual gestão encontrou um depósito alugado pela Secretaria Municipal de Saúde com sete toneladas de medicamentos vencidos. Durante vistorias nas unidades de saúde, novos medicamentos vencidos foram encontrados e encaminhados ao depósito, que contabiliza, atualmente, o montante de 21 toneladas.

Após realizar o levantamento da situação, a Secretaria de Saúde deu início ao processo licitatório para contratação do serviço de incineração, conforme o protocolo estabelecido pela Anvisa. Todos os medicamentos que se encontram no depósito foram comprados e recebidos pela gestão anterior da Prefeitura. Os medicamentos vencidos durante este ano somente foram levados para o depósito após terem atingido a data de vencimento.

No almoxarifado da Secretaria de Saúde (que fica em local distinto do depósito de medicamentos vencidos) existe uma ala de medicamentos “segregados”, que estão próximos da data de vencimento. A equipe do almoxarifado busca dar vazão a esses medicamentos antes do vencimento, inclusive com a possibilidade de doações, mas nem sempre é possível. Mensalmente é colhida uma sobra residual de medicamentos vencidos, que são levados para o depósito em questão.

A Prefeitura estipulou a contratação do serviço de incineração referente às 21 toneladas de medicamentos que estão no depósito.

Últimas Notícias

Sua Denúncia foi enviada com sucesso

As informações foram  enviadas para seu e-mail.