Audiência pública em Cabo Frio debate acesso de crianças e adolescentes a atividades esportivas

Evento foi aberto à população para discussão de políticas públicas sobre o tema

O auditório da Prefeitura de Cabo recebeu, nesta segunda-feira (4), uma audiência pública para discutir o acesso de crianças e adolescentes a atividades esportivas no município. O objetivo foi promover a discussão, junto a especialistas, autoridades, representantes dos setores público e privado e sociedade civil, acerca da implementação de política pública de caráter permanente e que garanta o oferecimento de atividades esportivas na cidade.

Na discussão foram abordados temas como modalidades esportivas, estrutura física, locais onde são ministradas as aulas, faixas etárias atendidas, condicionalidades para participação nos programas a serem desenvolvidos e formalização da política para o tema.

Participaram da audiência a secretária de Educação, Elicéa da Silveira, a secretária da Criança e do Adolescente, Betânia Batista, a secretária de Turismo, Esporte e Lazer, Katyuscia Brito, a secretária de Assistência Social, Nilza Miquelotti, o secretário adjunto de Turismo, Esporte e Lazer em Tamoios, André Carvalho, e o secretário adjunto de Esporte e Lazer, Felipe Monteiro.

A secretaria de Educação de Cabo Frio, Elicéa da Silveira, anunciou que todas as licitações para realização de obras nas escolas serão em separado com as das quadras que serão construídas, para agilizar a construção nas escolas que ainda não as têm.

“Para que nossos planos ligados ao esporte aconteçam, precisamos de espaço físico, e o primeiro passo é termos os locais apropriados. A partir de agora vamos abrir uma licitação em separado para reformar as quadras das escolas, pois é muito mais rápido reformar uma quadra ao esperar reformar toda uma escola. Temos 93 escolas e a maioria não tem quadra e as que têm, a maioria não tem cobertura. Já reformamos e colocamos cobertura em nove, e atualmente temos quatro quadras em andamento, incluindo a cobertura. Temos também 14 escolas onde elas já foram reformadas, além de 23 escolas para construir quadras, onde um dia as obras foram iniciadas mas pararam no tempo”, afirmou Elicéa.

A secretária da Criança e do Adolescente, Betânia Batista, citou o exemplo de dois projetos sociais de Cabo Frio que receberam recursos do Fundo Municipal para Atendimento dos Direitos da Criança e do Adolescente (Fumcria). O pagamento foi creditado nas contas do Grêmio Recreativo e Esportivo do Samburá e da Apae de Cabo Frio, e foram aplicados em projetos sociais.

“Participar desta audiência pública é muito importante para traçarmos novas estratégias e aumentarmos o número de crianças e adolescentes participando de atividades esportivas na cidade. Estamos falando o tempo todo em reconstrução, e quando a gente fala em reconstrução, falamos de espaço físico, e isso leva um tempo. Hoje apoiamos o esporte através do Fumcria e entendemos que motivando as ONGs a apresentarem projetos, estamos recuperando um caminho sólido”, declarou Betânia.

O evento foi convocado pelo Ministério Público do Estado do Rio de Janeiro, por meio da 1ª Promotoria de Justiça da Infância e da Juventude de Cabo Frio, pela Defensoria Pública, por meio do 3º Núcleo Regional de Tutela Coletiva, e pelo Município de Cabo Frio.

Últimas Notícias

Sua Denúncia foi enviada com sucesso

As informações foram  enviadas para seu e-mail.