Coordenadoria de Meio Ambiente investiga “anelamento” de amendoeiras no Braga

Fiscais da coordenadoria do meio Ambiente estiveram, neste fim de semana, na Avenida Vereador Antônio F. dos Santos, no Braga, atendendo à denúncia de uma ONG, acerca do “anelamento” de duas amendoeiras em frente a um estabelecimento comercial. Ao chegarem ao local os agentes confirmaram a denúncia, observando, inclusive, a presença de perfurações nas árvores para inserção de agente químico para acelerar a morte dos espécimes. Foi constatado que a concessionária de energia havia feito uma poda nas duas árvores e o infrator se aproveitou da movimentação para fazer o “anelamento”.

As amendoeiras ficam em frente a um restaurante desativado e estão sendo feitos levantamentos para que o proprietário do imóvel seja identificado a fim de se apurar a autoria do crime ambiental. Segundo o coordenador do Meio Ambiente, Mario Flávio Moreira, o anelamento é uma técnica cruel e o uso de perfuração para acelerar a morte da árvore agrava ainda mais a questão.

“O anelamento é uma técnica de eliminação cruel de árvores, pois consiste na retirada de uma porção externa da seção transversal onde se encontra o floema (casca), impedindo assim a condução de seiva elaborada para as raízes da planta. Após algum tempo a árvore morre, literalmente, de fome. O anel feito na parte mais externa ou na casca da planta impede que o alimento chegue às raízes. As raízes morrem por inanição e a planta também, pelo motivo de não receberem mais a seiva bruta das raízes”, detalhou.

A população pode – e deve – denunciar crimes ambientais, pelo e-mail cogemacabofrio@gmail.com  e pelo telefone 99242-3041.  O anonimato da denúncia é garantido.

DestaqueNotícias

Comentários estão desabilitados.

FECHAR ACESSIBIILIDADE
%d blogueiros gostam disto: