Cabo Frio implanta programa de Coleta Seletiva Solidária

A Prefeitura de Cabo Frio iniciou, neste mês de março, o projeto piloto de Coleta Seletiva Solidária. A princípio os bairros que vão receber o serviço são Centro, Vila Nova, Passagem e Marlin, além da Praia do Forte e Ilha do Japonês. O projeto é uma parceria entre a Coordenadoria Geral de Meio Ambiente, Secretaria de Educação, Comsercaf e Cooperativa de Catadores e Coletores de Materiais Recicláveis (COOPERFRT).


SAIBA MAIS:

Superintendência de Pesca firma parceria com Capitania dos Portos para melhorias no setor

Horto Municipal receberá mais uma edição da Aldeia Criativa

Meio Ambiente distribui mudas nativas em Tamoios

Para que a coleta ocorra é necessário que os moradores separem o lixo orgânico do não orgânico corretamente. A recomendação é para que num saco preto seja colocado todo o lixo úmido, como restos de comida, fraldas, bitucas de cigarro, folhagens e papel sujo como filtro de café, por exemplo. Em sacos de outras cores devem ser armazenados os lixos secos: metais, papéis, plásticos e vidros. Dessa forma fica fácil dos catadores identificarem o tipo de material fazendo a destinação correta.

Inicialmente a coleta vai acontecer às segundas, quartas e sextas-feiras, a partir das 8h, no Centro, Passagem, Vila Nova e Marlin. Na Praia do Forte e Ilha do Japonês será realizada todos os dias. Já no centro comercial sempre a partir das 18h. Em breve o projeto vai se estender para outros bairros e o distrito de Tamoios.  

Todo material reciclado recolhido será destinado à Cooperativa de Catadores e Coletores de Materiais Recicláveis (COOPERFRT), onde será feita a triagem, separação, prensagem e destinação final. O importante é não colocar o lixo reciclado junto com lixo orgânico.

Segundo o coordenador de Meio Ambiente, Eduardo Pimenta, o objetivo da coleta seletiva é minimizar custos de forma que a verba usada para pagar o aterro sanitário seja aplicada em outras áreas como saúde, educação e segurança, por exemplo. “A coleta seletiva está sendo implantada por causa da necessidade que existe do poder público em diminuir o volume de lixo que é depositado no aterro sanitário. Isso representa uma fatia significativa do orçamento do município. Por isso começamos a promover essa ação para que seja feita a política reversa de reciclar ao invés de encaminhar para destinação final”, explicou.

Ainda de acordo com Pimenta, a coleta seletiva traz melhorias significativas para o meio ambiente. “Porque tudo que possa ser reutilizado deixa de ser retirado do ecossistema”, completou.

Últimas Notícias

Sua Denúncia foi enviada com sucesso

As informações foram  enviadas para seu e-mail.